10 coisas que não devem ser ditas em uma entrevista de emprego

Entrevista de emprego
Foto: Reprodução Revistarhonline

Psicóloga dá dicas fundamentais para ajudar você a conquistar a vaga desejada.

Redigir um bom currículo, se candidatar às vagas e se preparar para as entrevistas de emprego. Essa é a etapa mais importante da sua candidatura. Seja online ou presencial, a entrevista de emprego é um fator eliminatório da contratação. Por isso, entrevistamos a psicóloga Manoelle Corrêa, pós-graduada em Psicologia Organizacional e do Trabalho, para você conquistar a vaga desejada.

10 coisas que não devem ser ditas em uma entrevista de emprego

1) Fofoca

A psicóloga explica que os recrutadores fazem diversas perguntas para tentar conhecer o candidato a fundo. Por isso, quando se é perguntado por que você deixou seu trabalho anterior, jamais fale mal da antiga empresa, do seu antigo chefe e nunca faça fofoca das empresas em que trabalhou. “Falar mal do antigo empregador gera dúvida da conduta ética do profissional”, afirma Corrêa.

2) Intimidade

Por mais que você conheça o recrutador, nunca demostre intimidade. Nunca chame a profissional de recursos humanos de “querida”, “amiga”, etc. Mantenha a postura e demostre seriedade durante todo o período.

3) Gírias

A psicóloga Manoelle Corrêa afirma que as gírias são mal vistas pelos recrutadores. “As pessoas precisam ser diretas, verdadeiras e evitar gírias como “beleza”, “demorou”, “tipo assim”, “massa”. Deixe essa linguagem para usar em casa ou com os amigos. No ambiente de trabalho é preciso profissionalismo”, exemplifica.

4) Não fale demais

Contar histórias da sua vida particular, contar piadas ou falar demais são erros comuns. “O candidato precisa ser coeso, não mentir nunca e não falar mais que o necessário. Seja direto e responda o que o entrevistador lhe perguntou”, explica Manoelle.

Psicologa organizacional
A psicóloga organizacional Manoelle Corrêa.

5) Tenha paciência

O recrutador deve começar a fala. Jamais inicie a conversa, espere e observe. Tenha paciência e demostre tranquilidade.

6) Salário

Jamais pergunte quanto é o salário na primeira entrevista. O processo seletivo possui diversas etapas, por isso, primeiro você precisa saber se foi selecionado para a próxima fase. Muitas empresas também já divulgam o salário ao anunciar a vaga, por isso não é preciso perguntar novamente.

7) Não seja arrogante

Seja humilde, demonstre interesse em trabalhar na organização. Diga porque quer trabalhar na empresa. Nunca seja arrogante e fique falando o quanto é bom, o quanto é competente. Os recrutadores saberão se você é o candidato ideal pela sua postura.

8) Não minta

Se a empresa exigir que você saiba outras línguas, jamais minta. Muitas empresas fazem testes pessoalmente ou por telefone para saber se você domina o idioma. “Mentir que você fala inglês é extremamente errado, a empresa pode te telefonar e fazer todas as perguntas em inglês. Se você não souber responder, sua reputação poderá ser abalada para todo o mercado”, afirma a psicóloga.

9) Estude a empresa

Antes da entrevista, visite o site da empresa, se prepare. “Leia a missão, a visão e os valores da empresa antes da data da entrevista. Jamais pergunte o que a empresa faz, você precisa saber isso com antecedência. Você precisa acreditar nos valores da organização para trabalhar nela. Se você não acredita no que a empresa faz, não segue tal filosofia, provavelmente não dará certo a longo prazo. É preciso vestir a camisa da empresa”, esclarece a psicóloga organizacional.

10) Futuro

Quando o recrutador lhe perguntar como você se vê daqui a 10 anos, jamais fale da sua vida pessoal e sim da sua vida profissional. “Demostrar interesse em construir uma carreira dentro da empresa é fundamental para conseguir a vaga e crescer junto com a organização”, conclui Manoelle Corrêa.

A psicóloga Manoelle Corrêa (CRP 12/10963) é formada pela Universidade Regional de Blumenau-SC. Pós-graduada em Psicologia Organizacional e do Trabalho pela Sociesc/FGV. Atua como psicóloga organizacional.



  • Olá Junior, muito obrigado pelo contato.
    Realmente você tem razão em sua colocação, porém o que a profissional que entrevistamos coloca é que a busca em saber pelo salário que será pago não deve ser uma obsessão do candidato. Até porque, o que não queremos é que as portas sejam fechadas assim que foram abertas. Obviamente que se a empresa informar antes é excelente, porém nem todas trabalham com essa postura.
    Grande abraço e muito obrigado por comentar aqui no site!

  • Junior

    Quanto ao item 6, eu acho que deveria ser quase que obrigatório a empresa colocar pelo menos a faixa salarial que pretendem pagar, pois é ultrajante uma pessoa gastar seu tempo nas diversas etapas de um processo seletivo—vale lembrar que hoje em dia os processos estão gigantes, parece que está selecionando alguém pra ir pra Lua—e no fim de 1001 etapas você chega para conversar e falam um salário totalmente incompatível, é uma perda de tempo total.