Europa: Portugal foi o país onde o desemprego mais caiu

Portugal registrou queda na quantidade de desempregados
Foto: Reprodução Público

País europeu foi o que teve maior queda na quantidade de desempregados na Zona do Euro no último ano. Confira!

Em 2008 a crise econômica que iniciou no mercado dos Estados Unidos teria impactos devastadores pouco tempo depois na Europa. Portugal foi um dos países mais castigados com a crise, especialmente a partir de 2011 e viu o emprego sumir. Para se ter uma ideia, segundo dados do Eurostat (Gabinete de Estatísticas da União Europeia), em janeiro de 2013 Portugal tinha 17,5% da população economicamente ativa desempregada. Chegou a ter, no mesmo período, a terceira maior taxa de desemprego da União Europeia, ficando atrás da Grécia (26,7%) e Espanha (26,2%).





Novos Tempos

Porém, como diz o ditado popular: “após a tempestade vem a bonança”. Os países do sul da Europa (Portugal, Itália, Espanha e Grécia) nunca foram muito bem vistos dentro do bloco, justamente por não possuírem altas taxas de empregabilidade e, quando do auge da crise, terem pedido dinheiro emprestado ao Banco Central Europeu e FMI (Fundo Monetário Internacional) na tentativa de reorganizar as finanças. Portugal possui pouco mais de 10 milhões de habitantes e, por ser pequeno, foi um dos primeiros a sentir a crise. Mas, também por ser pequeno, parece ter entendido o recado, feito o trabalho de casa e começa a se reorganizar economica e financeiramente.

Leia um texto que preparamos para quem quer estudar e trabalhar em Portugal.

Queda no Número de Desempregados

Em março de 2017 a taxa de desemprego em Portugal ficou em 9,8% de acordo com o Eurostat e o INE (Instituto Nacional de Estatística). O país registrou uma queda de 2,2% na quantidade de pessoas desempregadas entre 2016 e 2017, sendo a maior baixa dos países da Zona do Euro. É a primeira vez, desde de fevereiro de 2009, que a taxa de desemprego em Portugal cai para menos de dois dígitos.

Desemprego em Outros Países

Ainda de acordo com o Eurostat, a Espanha foi o segundo país onde o desemprego mais recuou, de 20,3% para 18,2%, porém ainda conta com um número elevado de pessoas desempregadas. Dos países da União Europeia, a Croácia foi o que teve a maior queda na quantidade de desempregados, caindo de 14% para 11,3%.

Veja o vídeo onde mostramos os documentos necessários para fazer o visto de Portugal. 

Menos 1 milhão de desempregados

Atualmente são 15,5 milhões de pessoas desempregadas na Zona do Euro, quase um milhão a menos do que no mesmo período do ano passado.

Portugal ocupa a Sexta Posição em Desemprego na Zona do Euro e o Sétimo Lugar na União Europeia

A União Europeia é composta por 28 países (com a saída do Reino Unido passará a ter 27 membros), porém nem todos os países que participam da União Europeia utilizam o Euro como moeda corrente. Aliás, apenas 19 países que compõem o bloco utilizam o Euro como moeda única, por isso você verá diferença nos índices abaixo.

Mesmo que as coisas estejam melhorando, Portugal está na sexta posição dos países que possuem o Euro como moeda no quesito desemprego. Abaixo você confere os 10 países com maior quantidade de desempregados na União Europeia:

1º lugar

A Grécia continua em primeiro lugar no número de desempregados. O país do sul da Europa tem 23,5% da população sem trabalho.

2º lugar

A Espanha ocupa a segunda posição, com 18,2% de desempregados no país.

3º lugar

O Chipre aparece em terceiro lugar, com 12,5%.

4º lugar

A Itália está na quarta posição, com 11,7%.

5º lugar

A Croácia aparece no quinto lugar e tem, atualmente, 11,3% de pessoas desempregadas.

6º lugar

Na França a taxa de desemprego é de 10,1% e o país está na frente de Portugal.

7º lugar

Portugal aparece na sétima posição, com 9,8% de desempregados.

8º lugar

Na oitava colocação está a Letônia, com 9%.

9º lugar

A Finlândia figura na nona posição e atualmente conta com 8,8% no número de desempregados.

10º lugar

Na décima posição aparece a Eslováquia com 8,4%.

Gráfico com a lista de países

Lista de paises e quantidade de desempregados
Reprodução Jornal de Notícias