Morar fora: do lado de cá nos lembramos mais das vitórias

Do lado de ca nos lembramos mais das nossas vitorias
Foto: Reprodução The Odyssey Online

A gente aprende a valorizar muito mais os nossos acertos e dar bem menos bola quando erramos.

É normal que, na nossa vida, geralmente, a gente dê maior destaque para os nossos fracassos do que para as nossa vitórias. Isso se inverte de forma quase que automática quando você decide morar fora e encarar a vida de um outro viés. Sim, quando a gente decide partir tudo muda. O mundo ganha outra dimensão, diminui. A gente também é redimensionado, aumentamos e nos expandimos.





O dia a dia

O dia a dia tem um poder sobre nós. Ele, junto com a rotina, costuma assassinar nossos sonhos, sufocar nossas vontades e, pouco a pouco, vai fazendo com que deixemos de acreditar na nossa infinita capacidade de mudança. Claro que, dessa maneira, tendemos a dar muito mais valor para os nossos erros e fracassos deixando, muitas vezes, nossas vitórias e conquistas numa prateleira esquecida. Com a correria da vida, nem lembramos de comemorar quando as coisas dão certo e, poucas ou raras são as vezes em que nos ajoelhamos para agradecer e não para pedir.

Você sabia? — A experiência de morar fora vira livro que será lançado em Portugal. Saiba mais!

Valorizando derrotas

Como sempre precisamos encontrar culpados por nossos problemas e desilusões, costumo colocar a rotina como culpada pela valorização extrema dos nossos fracassos. Faça um teste e tente, agora mesmo, listar três coisas que lhe deixam muito feliz e três que lhe deixam muito triste. Provavelmente, listar as três coisas que mais lhe chateiam seja mais fácil, até porque somos doutrinados a entender as vitórias da vida como “obrigação” e os fracassos como incompetência ou desatenção e dar mais valor para eles, lembrando e relembrando para que não voltem a acontecer. Nos massacramos mentalmente e dedicamos horas e horas aos erros e apenas uma cervejinha quando o negócio dá certo.banner-quadrado-autoor

Morar fora muda isso

Aqui do lado de fora, de maneira quase que automática, começamos a valorizar nossas vitórias e não nos importamos tanto com os nossos fracassos. E sabe por que isso acontece?! Porque quando a gente enfrenta nossos monstros, a gente cresce. Quando não nos resta outra alternativa que não encarar aquilo que mais nos amedronta, a gente começa a ver as coisas de outra forma. E morando fora, você vai se pegar feliz da vida porque conseguiu sua autorização de residência. Sim, um papelzinho de nada, um carimbo ou um cartão de plástico que lhe farão sorrir sem motivos e a cada conquista, antes entendidas como bobas, anularão os mil e um “nãos” que você tomou.

Leia também — Morar fora: a gente aprende a andar sozinho.

Criando uma casca

A gente começa a valorizar nossas vitórias depois de tomar tanta porrada, de colecionar nãos, de tantas negativas de emprego. Morando fora você precisará de fôlego, precisará de ainda mais coragem e se tornará resistente. A saudade, aos poucos, vai parar de doer, as porradas se transformam em tapinhas, as negativas de emprego não são mais entendidas como o fim do mundo e sim apenas o começo. Você vai criando uma casca protetora, um campo de força que brota por instinto de sobrevivência e envolve a nossa mente, mas principalmente o nosso coração.

banner-venda-livro-vazado-1

Aqui o que vale são as conquistas

O seu primeiro amigo feito em terras estrangeiras, a primeira carona, o churrasquinho na casa de um gringo que nunca lhe viu antes, ser admitido em um emprego qualquer. São conquistas, “conquistinhas”, “conquistonas” que vão nos tornando grandes e gratos. Ah, não falei, mas existe uma tendência gigante de que você se torne uma pessoa mais grata morando fora. Cada dia vencido, cada centavo ganho, cada amigo novo, cada elogio ao seu inglês, tudo isso terá um peso muito grande e você vai entender que vale a pena celebrar as conquistas e não dar muita bola para as derrotas.

banner-facebook-newsletter

Morando fora a gente se conhece, a gente se enfrenta. Quando a gente parte para o outro lado do mundo, começa a perceber que a vida é muito melhor quando valorizamos nossas vitórias e conseguimos perdoar os nossos fracassos. É preciso aprender a se perdoar, aprender a aprender e tentar ver sempre o lado bom das coisas. Caso você não faça isso vai pirar e não, ninguém tem a obrigação de lhe elogiar ou bater palmas pelas suas conquistas quando nem você faz isso.

Se está pensando em morar fora, aceite um conselho: valorize suas conquistas, sempre. Se já mora fora e ainda não faz isso, comece rapidamente a fazer. Você verá que tudo vai mudar, e para melhor. SEMPRE!