Morar fora: ‘Tome cuidado com os brasileiros’

Tome cuidado com os brasileiros
Foto: Reprodução Pixabay

Se você já disse ou ouviu essa frase, seja bem-vindo ao nosso mundo.

Lembro que, quando fui morar fora, uma das primeiras coisas que me disseram foi: “Tome cuidado com os brasileiros!”. Confesso que ouvir essa frase logo na chegada me causou muito desconforto, mas o que mais de deixava incomodado era que ela tinha saído (e ainda hoje sai dezenas de vezes) da boca de outro brasileiro. Acho que a minha primeira lição morando fora foi ter que aprender a lidar com o “fogo amigo”, aquilo que acontece na guerra quando alguém do mesmo exército troca tiros entre si, porém na guerra isso geralmente acontece de maneira não intencional, o que não é o caso aqui.





Reconhecendo o terreno

Assim que cheguei na minha batalha, comecei a fazer aquele reconhecimento de terreno essencial. Fui percebendo, aos poucos, que honestidade não possui nacionalidade, que a terra da decência não possui hino e que o país mais sério do mundo não tem bandeira. Em todos os lugares do planeta existem pessoas “do bem” e “do mal”, porém geralmente percebemos melhor os defeitos dos iguais e, dessa forma, comecei a entender e dar forma a minha investigação de “fogo amigo”.

Leia também — Morar fora: ou você muda ou você volta.

banner-venda-livro-vazado-1

Alguns queimam o filme de muitos

Se você já mora ou está pensando em morar fora, saiba que o seu filme já foi queimado por alguém. Esse “alguém” você nem conhece e, quem está lhe igualando a ele, também não, pois foi num outro ano, numa outra década, quem sabe até num outro século, numa época em que você nem existia, até em uma outra vida, mas foi. E isso ficou marcado, especialmente nas pessoas que utilizam essas desculpas para não dar mais chance alguma para os próximos, nesse caso eu ou você. Aquela máxima do tomate podre no cesto é real e, na maior parte das vezes, jogamos fora muitos tomates bons achando que estavam estragados, mas nem estavam. Era apenas um, e já bastava. As vezes seremos colocados no lixo sem nem nos darem chance de argumentar.

Saiba mais — Morar fora: que fé é essa? 

Ver a ilha do mar

Dizem que a gente só descobre o tamanho da nossa ilha quando a olhamos do mar e foi morando fora que tive (e tenho) mais facilidade em conhecer o meu país. Descubro, todos os dias, onde erramos e acertamos enquanto nação e isso só me é possibilitado por estar olhando a casa toda ali do outro lado da rua (neste caso do outro lado do oceano). Foi criando referências que comecei a perceber onde podemos evoluir, onde devemos mudar e onde já nos adiantamos.

banner-facebook-newsletter

‘Tome cuidado com os brasileiros’

Realmente é um bom conselho, mas não no sentido que você está pensando. Morando fora aprendi que nós brasileiros somos cheios de defeitos, mas que ninguém consegue nos superar nas nossas qualidades. Nós fazemos amizade com uma facilidade absurda, nós  sabemos dar um abraço de verdade, nós convidamos para o churrasco, nós temos um senso de humor inigualável, temos uma habilidade incrível em lidar com a ironia, nos doamos e somos extremamente envolventes.banner-quadrado-autoor

Eu tomo muito cuidado com brasileiros que conheço por aqui, especialmente com os que pensam em voltar logo para o Brasil. Tomo cuidado e evito, justamente porque sei o quanto dói a despedida, porque aqui fora tudo é muito intenso e a gente se apega demais. Já foram algumas horas de choro quando amigos queridos voltaram para o Brasil, pois conversar com alguém que conhece a sua realidade e entende o que você está dizendo é, muitas vezes, a única coisa que a gente precisa naqueles piores dias.

Se você topou a aventura de morar fora, se permita derrubar mitos e desconstruir inverdades. Pela sua estrada você vai cruzar (e já deve ter cruzado) com pessoas de todos os tipos: queridas, grosseiras, sinceras, mentirosas, pobres, ricas, educadas, secas, mal educadas, bonitas, feias ou com outra qualidade ou defeito qualquer. Porém, se eram brasileiras, chinesas, italianas, americanas, russas, chilenas, belgas, australianas, japonesas ou sei lá o quê, pouco importa. Importa COMO elas eram e não DE ONDE eram, se é que você me entende. 😉

ATENÇÃO: os textos de Cláudio Abdo publicados aqui no site Vagas pelo Mundo viraram um livro (com inéditos). Caso você queira comprar um exemplar autografado e com uma dedicatória exclusiva do autor, envie um e-mail para: vagaspelomundo@gmail.com | Assunto: LIVRO. Nós lhe enviaremos todas as informações. Corra que os exemplares são limitados!



  • Miro Ramos

    Acredito que você tenha se dado muito mal com alguém para está expressando desta forma o seu ódio contra nós Brasileiros, acho que a classe e o tipo de gente que você anda precisa ser revisto, talvez até o que você anda fazendo faz com que isso aconteça com você, mais não se fruste por isso, você se tornou pior do que seu próprio comentário.

  • JC Pan

    Realmente temos o incrível hábito de nos acharmos os piores os melhores em tudo. Há mais de uma forma de preparar a comida. Sociedades milenares existem e não foi por causa do brasileiro saber preparar o melhor arroz com feijão do mundo. Entendam de uma vez que se você vai para o quintal do outro é você que tem que se adequar.

  • Lara Concórdin

    Moro fora desde pequena e nunca conheci um brasileiro que me acrescentou em algo. Sempre aqueles Brasileiros que quando chegam querem sugar o máximo de informação que você tem, e depois de alguns meses já saem por aí se achando que são os conhecedores das coisas e da vida aqui na Europa, depois passa e nem olha na sua cara e ainda inventa um monte de mentiras para tentar denigrir sua imagem só por que chegamos primeiro. A impressão que tenho que a MAIORIA dos Brasileiros adoram se aparecer e quando saem do Brasil isso piora muito. Brasileiro adora fingir que ajuda, e se tiver que ajudar é para que depois cobre a ajuda ( Isso já aconteceu tantas vezes que nem lembro quantas foram) e depois vem querendo dizer que o Brasil é lindo, maravilhoso, que tem muita saudade e que todos os brasileiros ( ou maioria) são de ótimo caráter. É cultural o defeitos dos Brasileiros. Brasileiro adora se gabar de atributos que os não possuem e critica outros que os tem. Brasileiro é imaturo e não sabe aceitar as coisas. Adora choramingar e tentar buscar um jeitinho Brasileiro para resolver seus problemas quando algo/alguém diz NÃO bem grande. Brasileiro acha bonito ser criminoso, ilegal, ”passador de perna” e dentro tantos outros. Brasil é um reflexo dos Brasileiros. Não me venham com conversas de ahhhhhh mas é minoria que estraga a maioria, CONVERSA!!! Quantas vezes já vi em Estocolmo, Oslo, Lisboa, Madrid Brasileiros se gabando de pular catraca de metro e já vi um senhor com a camisa do Brasil dando ”zigue” no Ônibus em Berlim. Os Brasileiros Nunca vão saber o que é ser nacional de um país de primeiro mundo pois adoram ser de terceiro. Futebol,carnaval e funk isso é o orgulho de vocês. Não venham para fora acabar com os países dos outros se vocês não tem MATURIDADE, HUMILDADE E CARÁTER para conviver em sociedade.

  • Maria Benedito

    Adorei o q vc escreveu. Moro fora há 18 anos e hoje sei separar o joio do trigo. Realmente, não devemos generalizar, pq assim como tem gente ruim, tem muita gente boa ao nosso redor.