Viajar com animais de estimação para Europa

Viajar com animais para Europa
Foto: Reprodução Dulles International Airport

Saiba como é possível viajar para o continente europeu com seus pets.

Os animais de estimação são membros da família e quando decidimos morar no exterior precisamos saber como levá-los junto. Muitas dúvidas surgem e ficamos ansiosos com tanta documentação. A maioria dos países possui um controle rigoroso para a entrada de animais vindos de países como o Brasil, devido ao grande número de doenças ainda não controladas, como a raiva por exemplo. Hoje vamos te dar dicas de como viajar com seus animais de estimação para a Europa.





Raças permitidas

Gatos, cachorros e furões são permitidos para entrada na Europa, entretanto raças consideradas como “cães de ataque” ficam de fora da lista. Raças como Staffordshire Terriers ou American Staffordshire Terriers (pit-bulls), Mastiffs e Tosas são proibidos. Já as raças Staffordshire Terriers com pedigree, American Staffordshire Terriers com pedigree, Tosas com pedigree, cães com morfologia semelhante à dos Rottweiler podem ser permitidos em voos de carga para alguns países da União Europeia.

Raças proibidas

Cada país possui regras específicas para entrada de raças maiores, por exemplo, Portugal proíbe a entrada de animais considerados perigosos, como:

  1.  Fila brasileiro
  2.  Dogue argentino
  3.  Pit bull terrier
  4.  Rottweiller
  5.  American Staffordshire terrier
  6.  Staffordshire bull terrier
  7.  Tosa inu

Veja também: um guia definitivo de como comprar passagens aéreas baratas

Documentação

Para viajar para a Europa seu cachorro, gato ou furão deverá ter um microchip eletrônico, ter todas as vacinas em dia obrigatórias, estar desvermifugado e estar com anti-pulgas em dia. O ideal seria ter o microchip antes de tomar as vacinas, pois elas ficam registradas com o número do animal. É fundamental também ter a Carteira de Vacinação desde que o seu pet nasceu com todo o histórico de vacinas, com as datas e assinado pelo veterinário.

Documentos necessários para a viagem

  • Carteira de Vacinação;
  • Certificado do Microchip;
  • Passaporte animal (emitido pelo veterinário);
  • Vacina anti-raiva em dia;
  • Sorologia da raiva (titulação de anticorpos neutralizantes do vírus da Raiva) em um laboratório autorizado pela União Europeia. É necessário esperar 90 dias entre a data da coleta do sangue e a data da viagem (e o animal deve ter o microchip antes de tomar a vacina). Confira os laboratórios autorizados, há uma nova opção no Brasil, o LANAGRO/PE (Laboratório Nacional Agropecuário em Pernambuco);
  • Atestado do veterinário (afirmado que o animal é saudável e está apto a viajar – deve ser emitido no máximo 7 dias antes da viagem);
  • CZI (Certificado Zoossanitário Internacional) – que deve ser emitido pelo Ministério da Agricultura da sua cidade ou em um aeroporto internacional. O documento deve ser emitido no máximo 10 dias antes da viagem.

*Fique atento as regras de países como Reino Unido, Irlanda, Malta e Suécia que possuem regras mais específicas para a entrada de animais no país. Para saber as exigências sanitárias de um país específico, acesse o site do Governo do país e leia todas as regras.

Viagem de avião

Se seu cachorro ou gato é pequeno, ele poderá viajar com você na cabine. Mas para isso não pode ultrapassar o peso de total de 8kg (incluindo o peso do animal mais o da caixa transportadora). Animais filhotes não podem viajar, precisam esperar pelo 3 meses e terem todas as vacinas em dia. Antes de comprar a sua passagem é preciso ligar para a companhia aérea ou para a agência de turismo e pedir autorização para viajar com a animal. Existe um limite de animais por voo. O pagamento da passagem do seu pet poderá ser cobrado de forma antecipada ou na hora do embarque, por isso é preciso chegar cedo ao aeroporto no dia da viagem.

Veja também: você tem direito a Cidadania Portuguesa?

Conforto do animal durante o voo

Se seu animal for viajar na caixa transportadora e tiver mais de 8kg, ele precisará ir no compartimento pet do avião. O espaço é refrigerado (mesmo ar da cabine de passageiros). Para o maior conforto do seu animalzinho, a caixa deve ser grande o suficiente para ele conseguir dar uma volta completa dentro (cada companhia aérea informa os tamanhos permitidos das caixas transportadoras). Além disso, ela deve ser forrada com um tapete higiênico, ter água, brinquedos pequenos e também é legal colocar uma peça de roupa sua usada com o seu cheiro. Um remédio como Dramin também pode ajudar a acalmá-lo (verifique o peso do seu animal para saber a dosagem). 

Durante o processo de check-in e chegada ao aeroporto é importante que você demonstre calma para seu animal, para ele não ficar com medo ou estressado. Tente fazer com que ele faça o máximo de xixi antes da viagem e evite dar muita água ou comida duas horas antes do embarque.

Se seu cachorro ou gato for pequeno e viajar com você na cabine, ele deve ficar sempre dentro da bolsa ou caixa transportadora. No meu caso, a minha cachorrinha ficou no meu colo dentro da bolsa, com o zíper aberto para ela poder respirar e espiar o movimento durante o voo. Mesmo com 12 horas de viagem, ela não fez xixi, apenas comeu e tomou água quando estávamos nas horas finais do voo.

Valores

Para transportar seu animal para a Europa a média de valores é de € 200 euros por animal (o valor pode variar de acordo com a companhia aérea).

Chegada ao aeroporto

Chegando na Europa com seu pet, você precisará passar por um veterinário do aeroporto para verificar toda a documentação do animal (separe em uma pasta). Ainda poderá haver uma taxa sanitária para entrada do animal (o valor tem média de € 50,00 e varia de acordo com o país de entrada). Depois da chegada do seu animal na Europa, verifique como registrar o seu novo endereço nos dados do Microchip do seu pet.

Saiba mais detalhes de como transportar seu pet para Europa.