Como é morar no Qatar, o país mais rico do mundo

Morar no Qatar
Foto: Arquivo pessoal.

Veja uma entrevista exclusiva com os brasileiros que moram em Doha, no Qatar e saiba quais as vantagens de morar no país.

O Qatar é um país pouco conhecido como destino para morar no exterior, mas ele está no topo da lista dos países mais ricos do mundo, super desenvolvido e que não cobra impostos dos seus cidadãos. Pensando nisso, o site Vagas pelo Mundo entrevistou o casal Isabela Zimmermann Schweder e Guilherme Zimmermann Schweder para saber como é morar no Qatar.





 

Conhecendo o Qatar

O Qatar é um país do Oriente Médio, que faz fronteira com a Arábia Saudita e o Bahrein. O país lidera a lista dos países mais ricos do mundo pela Revista Forbes, devido a sua grande reserva de petróleo.

O país árabe tem 2,7 milhões de habitantes, sendo 80% da população estrangeira. A língua oficial é o árabe, mas quase toda a população fala inglês, sendo considerado o segundo idioma.

O Qatar também é apontado como o país mais seguro do mundo, com menor risco de desastres naturais, devido a sua posição privilegiada pelo Golfo Pérsico, e sem roubos, o Qatar vai sediar a Copa do Mundo de 2022.

Morar no Qatar
Foto: Tá por onde.

 

Como é morar no Qatar?

Veja a seguir a entrevista completa com a profissional de Marketing Isabela Zimmermann Schweder e do piloto de avião Guilherme Zimmermann Schweder. Os brasileiros moram na cidade de Doha, a capital do Qatar há 3 anos e meio.

1) Como surgiu a oportunidade de morar no Qatar?

O meu marido Guilherme é piloto de avião e sempre sonhou em voar fora do Brasil, e em 2016 aplicou para trabalhar no Oriente Médio.

Descubra quais as maneiras de morar no exterior.

2) Vocês conheciam alguma coisa sobre o país antes de ir morar no Qatar?

O Guilherme conheceu o país durante o processo seletivo da empresa, teve pouco tempo de sair para passear, mas foi em áreas chave da cidade para ter uma ideia do que nos esperava. Já havíamos visitado os Emirados Árabes Unidos, temos muitos amigos em Dubai e tínhamos uma ideia de que Doha seria uma Dubai um pouco menor, era assim que as pessoas sempre se referiam a cidade.

Eu conhecia somente por fotos. Conheci realmente a cidade só depois de um mês e meio, quando veio fazer uma visita enquanto o Guilherme já estava em curso na nova companhia. Fui em definitivo três meses depois.

3) Como foi o processo de visto? Foi difícil?

O processo do visto para o Qatar foi bem fácil. O Guilherme veio com contrato de trabalho, portanto toda documentação dele foi a empresa que resolveu.

Eu como esposa, é um processo é bem simples. A empresa é o sponsor (patrocinador do visto) dele no país e ele é meu sponsor. Ainda no Brasil traduzimos os documentos para o inglês com um tradutor juramentado.

Na chegada do Guilherme no Qatar ele teve que traduzir novamente todos os documentos para o árabe, então quando eu cheguei foi uma questão de apresentar os documentos ao governo em um departamento de imigração exclusivo da empresa, ou seja, sem fila, e em questão de dias estava devidamente registrada como residente do Qatar.

Há um requisito para ser residente, eles fazem exames médicos e você precisa estar livre de certas doenças para ser aprovado, entre elas a tuberculose e HIV.

Curiosidade: Para tirar a carteira de habilitação é necessário ter a autorização do marido. (Por uma questão de sponsor, porque ele é o responsável legal, da mesma forma que a empresa se torna o responsável legal pelo Guilherme, portanto, não tem nada a ver com religião ou preconceito. Da mesma forma ele precisa autorização da empresa para empréstimos, financiamentos, abrir contas em banco, etc..)

Morar fora: a gente aprende a ser daqui.

4) Como foi a adaptação ao país e a uma cultura tão diferente?

Acho que o mais difícil não foi a cultura. Quando você tem uma mente aberta, entende e aceita o que é diferente, é mais fácil. Até porque o nosso contato com o local e com a cultura acaba sendo restrita, eles vivem a vida deles sem interferir com a nossa e vice versa.

O mais difícil foi o lugar para onde fomos morar. Saímos de uma casa em condomínio com quintal para os pets e fomos para uma acomodação da empresa, um apartamento sem varanda. O que é comum no inicio, solicitamos a saída e depois de 10 meses conseguimos nos mudar para o que achamos o melhor lugar da cidade, o The Pearl.

Aqui a vida acaba sendo diferente de alguns lugares da cidade. Por exemplo, por ser considerado um “condomínio”, uma espécie de área particular, podemos frequentar a praia com vestimenta normal já que nas praias públicas o uso de biquíni é proibido.

No nosso prédio podemos fazer o churrasco com cerveja na piscina sem problemas, dentre outras diferenças que acabam deixando a vida mais fácil pra quem mora nessa área.

Algumas pessoas perguntam sobre o código de vestimenta e é claro que é um pouco diferente do que estamos acostumados, porém não é radical como muitos imaginam.

Áreas comuns como shoppings, prédios do governo, etc… homens não podem usar bermuda que deixe o joelho aparecendo, mulheres também não podem usar saias curtas ou roupas muito coladas, e devem usar roupas que cubram os ombros.

Sinceramente, por ser Oriente Médio muitas pessoas já criam um pré-conceito, porém depois que você acostuma e segue algumas regras, a vida fica muito fácil.

Exatamente igual acontece nos Estados Unidos, existem muitas regras e leis que aos olhos dos brasileiros parecem bizarras, como beber bebida alcoólica na rua, por exemplo, ou em Nova York que usar roupa justa na rua é crime, detalhes que muitos desconhecem.

Leia também: Morar fora, desistir não está nos planos.

Morar no Qatar
Foto: Arquivo pessoal.

5) Como é morar no país mais rico do mundo e não precisar pagar imposto? Os salários são bons? É possível ter uma vida confortável?

É possível sim ter uma vida confortável. Empregos com qualificação, que exigem cursos específicos ou faculdades, normalmente são bem remunerados. Porém, infelizmente não é atrás desses empregos que a maioria vem para o Qatar.

Existe uma mão de obra das indústrias e construção civil por exemplo, onde as pessoas acabam abandonando os seus países em busca de uma vida melhor e trabalham somente para enviar o dinheiro para sustentar a família em sua cidade natal.

Mas não pense que é exclusividade do Qatar, isso acontece em Dubai, Kuwait, Bahrein, Arábia Saudita e em praticamente todo o mundo, na Europa, nos Estados Unidos, etc… A diferença que aqui, existe uma regra que você precisa receber um salário mínimo (não sei o valor) para que você possa trazer a sua família para morar com você, e muitos desses trabalhadores ficam abaixo desse valor.

Existe também uma lei trabalhista no Qatar que se você é o sponsor, ou seja, contrata uma pessoa para ser seu funcionário seja em empresa ou um trabalhador doméstico, você tem certas obrigações legais além do salário.

Você é responsável por prover moradia, transporte para o trabalho e uma viagem para o país de origem uma vez ao ano, entre outras despesas. Por exemplo, no nosso caso moramos em um apartamento pago pela empresa em que o valor do aluguel corresponde a R$ 22 mil reais no Brasil com a cotação do dólar nos dias atuais, portanto grandes salários também implicam em um custo de vida bem elevado, se não fossem essas garantias certamente não valeria a pena trabalhar aqui.

Por ser um país que é praticamente um deserto a maior parte dos produtos são importados, portanto chegam com um preço elevado no Qatar o que deixa os gastos com supermercado e restaurantes bem altos.

Já na parte de eletrônicos por exemplo, por ser isento de imposto, por varias vezes o Qatar já foi eleito o país com o iPhone mais barato do mundo, mais barato que nos Estados Unidos, por exemplo.

Morar no Qatar
Foto: Arquivo pessoal.

6) Você conseguiram fazer amizades e criar laços por aí?

Sim. Somente na empresa aérea que meu marido trabalha existem mais de 300 brasileiros, inclusive é a segunda maior nacionalidade entre pilotos, perdemos apenas para os ingleses.

É comum também você cruzar com pessoas no mercado falando português, tanto do Brasil como de Portugal, em restaurantes, etc…

Acredito que quando somos expatriados acabamos muitas vezes criando laços até maiores com os amigos, acabam se tornando a nossa família fora do Brasil, além é claro de alguns que já eram amigos lá no Brasil.

Morar fora: entre o agora e o para sempre.

7) Pretendem continuar morando aí por muitos anos?

A ideia nunca foi de curto prazo até porque na minha profissão, com a decisão de sair do Brasil significava que a chance de retorno era praticamente mínima. Saímos com um plano A e agora com o corona a situação está tão crítica em todo o mundo que se o plano A falhar, não existe backup. Então sim, a ideia por enquanto é de continuar morando por muitos anos.

8) Como vocês se comunicam com os nativos? Todo mundo fala inglês?

Falamos inglês. Praticamente todo mundo fala inglês no Qatar. Mais de 80% da população é composta por expatriados. Inclusive os árabes tem que falar em inglês na maioria dos estabelecimentos, pois em alguns estabelecimentos não é pré-requisito falar árabe.

9) Você alguma vez sentiu algum preconceito por seu estrangeira?

Acho que só quando fui fazer o exame para tirar a carteira de identidade e de motorista.

Para identidade a atendente era muito grossa e impaciente com expatriadas e para carteira de motorista, cheguei as 6h30 e todas as árabes que chegaram depois de mim foram atendidas primeiro. Só fui atendida às 10h00.

Em outros momentos às vezes sinto que alguns árabes simplesmente ignoram a gente, mas não me importo. É minoria.

Quero morar fora: por onde devo começar?

10) Quantos pets você levou para o Catar? Como foi o processo burocrático?

Trouxemos 6 pets. Dois cachorros e 4 gatos. Adotamos mais um gato aqui. Como tudo no Brasil, é um pouco burocrático.

Não foi tanto porque na época não era necessária a sorologia da raiva, que mesmo assim tentamos fazer e não conseguimos porque o único local no Brasil que fazia o exame estava sem insumo para o exame.

O processo foi mais trabalhoso pela quantidade de pets. Precisei levar todos os animais em duas viagens para o aeroporto só para lerem o microchip e tirar a documentação.

Mudar para o Qatar
Foto: Isabela Schweder no aeroporto (arquivo pessoal)

11) Que dicas você pode dar para quem quer morar Oriente Médio?

Fale inglês para morar no Qatar. E esteja preparado para aprender a se adaptar vários novos sotaques.

Respeitar a cultura e ter uma cabeça aberta e aceitar as diferenças.

O calor é uma questão de decisão também, no verão as temperaturas passam dos 50ºC, apesar de ter ar condicionado em todos os lugares e ser um país preparado para enfrentar o calor, algumas pessoas acabam bastante incomodadas.

Porém diferente do que muitos pensam, na maioria do ano a temperatura é agradável, chegando até mínimas de 5ºC durante o inverno.

Diria que temos 3 estações no ano, verão, inverno e inferno (essa durando 2 meses normalmente, julho e agosto).

Ouça também o podcast “Partiu Morar Fora” sobre como é Morar no Qatar:

Também pode te interessar: Morar fora: a jornada de quem não pode fracassar.

 

livro morar fora claudio abdo

*Dicas para economizar e Cupons Vagas pelo Mundo:

Para reservar seu seguro de viagem com desconto, acesse o nosso cupom de desconto do Seguros Promo, você pode comparar seguradoras e escolher a melhor cobertura.

Para fazer transferências internacionais de dinheiro, o Vagas pelo Mundo recomenda o site Remessa Online. Acesse o site e ganhe 10% de desconto em todas as suas transações utilizando o VOUCHER Remessa Online: vagaspelomundo.

Compre passagens aéreas com preços promocionais pelo site Passagens Promo e economize mais de 35% para viajar pelo Brasil ou para o exterior.

Compre um chip internacional de celular antes mesmo de sair no Brasil. Acesse o site America Chip, ganhe 5% de desconto com o voucher: vagaspelomundo e receba em casa.

Para reservar hotéis com desconto, acesse o site Booking e pesquise as melhores opções de hospedagem.

Para obter descontos de até € 41,00 euros na sua hospedagem pelo Airbnb, acesse o nosso voucher de desconto.

Se você vai viajar e precisa alugar um carro, nós recomendamos o site Rentalcars, ele compara os preços de diversas locadoras e você consegue economizar bastante.

Amanda Corrêa

Amanda Corrêa é jornalista brasileira e mora no exterior há 6 anos. Possui Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho (Braga, Portugal). Morou na Inglaterra e atualmente reside em Portugal. Atua há 15 anos na área de Jornalismo, produção de conteúdos, mídias sociais. Com seus textos, ajuda brasileiros e estrangeiros a morarem fora do país e realizarem seus sonhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *