Viajar dos EUA para Portugal: país libera e-gates para americanos e canadenses

viajar dos EUA para Portugal
Foto: Portugalist.

Quem vai viajar dos EUA para Portugal agora pode utilizar os portões eletrônicos de controle de fronteiras (e-gates). Saiba mais!

As autoridades de imigração e controle de fronteiras em Portugal anunciaram que os viajantes dos Estados Unidos, bem como os do Canadá, estão agora aptos a usar as portas tecnológicas de controle de fronteiras (e-gates). Os turistas e viajantes da América do Norte terão acesso à tecnologia nos aeroportos portugueses de Lisboa e de Ponta Delgada (na Ilha dos Açores). Saiba mais sobre a novidade a seguir.


Viajar dos EUA para Portugal

A decisão de liberar os e-gates em Portugal para cidadãos americanos e canadenses foi confirmada através de um comunicado publicado pelo Ministério da Administração Interna (MAI) de Portugal, de acordo com o portal de notícias Schengen Visa Info. Segundo um relatório divulgado pela Portugal Resident, foram também convocados 25 novos inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) para apoiar as equipes que já trabalham nos terminais do Aeroporto de Lisboa e no Aeroporto do Porto.

O MAI também anunciou que a extensão do RAPID4ALL para viajantes americanos e canadenses também será lançada nos aeroportos do Porto e Faro posteriormente. As autoridades em Portugal disseram que a razão para a introdução de tais portas de controle de fronteira em Lisboa e Açores é que esses aeroportos recebem o maior número de passageiros dos Estados Unidos e Canadá nesta época do ano.

No último final de semana, ao menos 700 viajantes dos Estados Unidos e 67 do Canadá já puderam utilizar a novidade no Aeroporto de Lisboa.

Veja também: os melhores passes para viajar de trem pela Europa.

Sobre o RAPID4ALL

Em um comunicado, o Ministério da Administração Interna disse que “o RAPID4ALL melhora a gestão das fronteiras externas, melhora o serviço aos passageiros, aumenta a eficiência dos controlos fronteiriços e combate a imigração ilegal”.

Além disso, as autoridades portuguesas salientaram que as catracas RAPID4ALL estão abertas a titulares de passaportes portugueses, bem como da União Europeia, Nova Zelândia, Austrália, Japão, Reino Unido e Singapura.

O Sistema de Reconhecimento Automático de Passageiros Identificados Documentalmente (RAPID4ALL) está instalado nos aeroportos de Lisboa, do Porto, de Faro e do Funchal. O SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) investiu aproximadamente € 5 milhões de euros no RAPID4ALL e, com isso, já controlou milhares de passageiros que chegam ao país europeu desde 2016.

Modernizar, acelerar e melhorar a gestão das fronteiras externas dos países do Espaço Schengen é o objetivo do investimento, ao mesmo tempo que se aumenta a eficácia dos controles de fronteira e se combate a imigração ilegal.

Trem de alta velocidade Paris-Berlim: nova ligação promete viagens mais rápidas.

Viajar dos EUA para Portugal: meses de verão com muitos visitantes

O MAI descreveu seu plano de verão como “possuindo um vasto conjunto de medidas, com uma tripla dimensão”, enfatizando que elas entrarão em vigor entre agora e 4 de julho. Segundo as autoridades em Portugal, a tripla dimensão inclui o reforço substancial dos recursos humanos nos aeroportos do país, bem como novas soluções tecnológicas e mais soluções operacionais.

“Vamos acompanhar a implementação destas medidas e procurar aperfeiçoar a alocação de recursos humanos e materiais para que os tempos de espera sejam reduzidos ao máximo”, sublinhou o ministro José Luís Carneiro.

No entanto, o ministro acrescentou que nunca será completamente possível garantir que as filas deixem de existir depois de implicarem variáveis ​​de diferentes naturezas. O MAI salientou que a extensão do sistema RAPID4ALL permitirá uma maior celeridade no processo de controle de fronteiras sem comprometer a segurança.

*Veja dicas para passar na imigração e responder as perguntas de forma correta:

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação e Doutor em Estudos de Comunicação, é apaixonado por rock and roll e conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

blank

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *