Trabalhar na Austrália: estudantes internacionais sem limite de horas

trabalhar na Austrália
Foto: Pixabay.

Se você pensa em trabalhar na Austrália com um visto de estudante, saiba que por conta da pandemia não terá mais restrições na quantidade de horas. Saiba mais!

Estudantes estrangeiros poderão trabalhar na Austrália mais horas. A intenção do governo é que a decisão ajude a aliviar a escassez de trabalhadores no país, pois por conta das restrições impostas pelo governo mais pessoas estão sendo forçadas a se isolar e isso está impactando a economia australiana.


Trabalhar na Austrália com visto de estudante

O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, anunciou que o governo vai remover o limite de 20 horas por semana para trabalhadores com visto de estudante. A informação, publicada pelo jornal ABC News, diz que a decisão significa que os estudantes internacionais não terão mais restrições sobre a quantidade de horas que podem trabalhar.

Os limites de trabalho de quarenta horas para portadores de visto de estudante internacional na Austrália foram suspensos para pessoas do setor de turismo e hospitalidade em maio de 2021. Morrison encorajou os estudantes internacionais a retornarem para a Austrália, e os mochileiros também podem entrar no país com vistos de férias de trabalho, desde que estejam totalmente vacinados.

Não deixe de ler: empresas que patrocinam visto na Austrália.

Estudantes internacionais felizes com a decisão

Os estudantes internacionais que vivem na Austrália ficaram felizes com a decisão. Isso porque muitos deles trabalham em mais de um emprego e agora poderão trabalhar sem restrição de horário. Por conta das medidas extremas do governo, muitos trabalhadores deixaram a Austrália e retornaram para seus países de origem e isso fez com que muitas empresas estejam, até hoje, com muita dificuldade em contratar trabalhadores.

O CEO da Australasian Convenience and Petroleum Marketers Association (ACAPMA), Mark McKenzie, disse ao jornal ABC News que a decisão foi uma boa notícia, por exemplo, para os proprietários de postos de gasolina.

“A extensão das horas de visto proporcionaria um grande alívio em um ponto de pressão que temos atualmente em nossa força de trabalho”, disse McKenzie. Ele disse ainda que “a situação na indústria de combustíveis é muito diferente da indústria de supermercados. O que estamos fazendo é gerenciar o problema como está atualmente com uma pequena interrupção na força de trabalho”.

Veja também: 10 empregos mais bem pagos na Austrália.

Trabalhar na Austrália: preocupação com a exploração dos estudantes

Se por um lado muitos estudantes internacionais ficaram felizes com a notícia, na outra ponta surgem preocupações com a qualidade no aprendizado. O presidente do Conselho de Estudantes Internacionais da Austrália (CISA), Oscar Zi Shao Ong, disse que muitos estudantes saudariam a decisão do governo, mas lembrou que os estudantes internacionais já passam cerca de 40 horas por semana na universidade, participando de palestras, tutoriais e trabalhando em tarefas.

Ele disse que aumentar a carga de trabalho dos estudantes internacionais para preencher a escassez de trabalhadores colocaria uma pressão adicional sobre os estudantes que já tentam cumprir os prazos da universidade.

Zi Shao Ong afirmou que “a maior questão é que os estudantes internacionais vieram aqui para estudar” e que “Se você está pedindo a eles que trabalhem apenas como trabalhadores qualificados, a questão é que eles devem obter um visto diferente em vez de um visto de estudante?”.

Veja quais os 10 melhores países para imigrar e juntar dinheiro.

*Acompanhe também nosso canal do Youtube e aproveite para se inscrever:

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação e Doutor em Estudos de Comunicação, é apaixonado por rock and roll e conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

blank

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *