As profissões que não exigem diploma em Portugal e pagam bem

Salarios Portugal
Foto: Pixabay

Se você trabalha em Portugal ou sonha em trabalhar, conheça as profissões com salários acima da média e que não exigem diploma.

Portugal possui um salário mínimo nacional de € 600,00. Entretanto, a remuneração média no país europeu é de € 943,00, de acordo com a Hays e Michael Page, importantes empresas de recrutamento. Se você deseja trabalhar em Portugal, confira algumas das profissões com salários acima da média e que não exigem diploma, mas sim experiência profissional.





Trabalhar em Portugal

Algumas profissões em Portugal ter uma graduação e um diploma do ensino superior não é determinante para conseguir bons salários. Algumas outras qualidades pessoais são fundamentais, bem como dominar a ferramenta de trabalho ou o exercício da profissão. Também é importante saber que as cidades com os maiores salários em Portugal são as da Grande Lisboa.

Confira a lista das profissões em Portugal com bons salários*:

  • Secretárias administrativas: € 1.000.00 a € 1.200,00 euros
  • Técnico de desenho da Construção Civil: entre € 1.200 a € 1.500 euros
  • Técnico de instalações elétricas: entre € 1.200 e € 1.500 euros
  • Eletricistas (de alta e baixa tensão): entre € 1.200 e € 1.500 euros
  • Comissários de bordo: entre € 1.200 e € 1.500 euros
  • Soldadores e serralheiros: entre € 1.200 e € 1.500 euros
  • Técnicos de informática: € 1.200 e € 1.800 euros
  • Técnicos de eletrônica industrial: € 1200 e € 1.800 euros
  • Técnicos de manutenção industrial: € 1.200 e € 1.800 euros
  • Técnicos de mecatrônica: salários entre € 1.300 e € 1.500 euros
  • Optometristas: salários entre € 1.300 e € 1.500 euros
  • Técnicos de multimédia: entre € 1.300 e 1.500 euros
  • Designers gráficos: entre € 1.300 e € 1.500 euros
  • Técnicos de audiovisual: entre € 1.300 e € 1.500 euros
  • Técnicos de análise laboratorial: entre € 1.300 e € 1.800 euros
  • Técnicos de maquinação e programação: entre € 1.300 e € 1.800 euros
  • Técnicos de manutenção aeronáutica: salários entre € 1.500 e € 1.900 euros
  • Instaladores de sistemas solares e/ou eólicos: média de € 1.800 a € 2.000 euros
  • Programadores: € 1.800 e € 2.100 euros
  • Especialista em instalação e reparação de elevadores: € 1.800 e € 2.300 euros
  • Tripulantes de cruzeiro: entre € 1.800 e € 2.500 euros

*Os valores são médias salariais, calculadas pelas empresas de recrutamento do país europeu e podem variar de acordo com a cidade, a empresa e o tempo de experiência dos candidatos.

Veja também as vagas em Dublin: Irlanda tem oportunidades para quem fala português.

Salário mínimo em Portugal

O salário mínimo em Portugal subiu de € 580,00 em 2018 para € 600,00 em 2019. Um aumento de € 20,00 por mês para o trabalhador, ou seja, 3,4%. Cerca de 750 mil trabalhadores de Portugal ganham apenas um salário mínimo no país.

grupo-novo-facebook

O aumento foi considerado baixo pelos trabalhadores portugueses. A vizinha Espanha teve um aumento de 22% no salário mínimo nacional espanhol, fixando o valor de € 900,00 por mês. Já a França, depois das manifestações e reivindicações, promoveu um aumento de € 100,00 no salário mínimo nacional.

Leia também: Economia portuguesa em 2019: saiba o que esperar para este e para os próximos anos.

Ter ou não diploma?

Importante saber que não ter um diploma do Ensino Superior não significa não ter formação. Os profissionais com cursos técnicos, cursos profissionais e específicos da sua área de atuação são bastante requisitados em diversos setores de trabalho.

Saiba como trabalhar em Portugal.

Por isso, é importante que você se mantenha atualizado no seu ramo profissional, faça cursos, participe de formações e busque se capacitar. Se tiver uma oportunidade, faça um curso superior, ele poderá te abrir portas ou pelo menos você terá ampliado seus horizontes para novas possibilidades e opções de trabalho.

O mais importante, sem dúvida, é gostar daquilo que faz. Isso já é meio caminho andado para se tornar um profissional realizado e feliz.

Veja também: Grupo BMW vai contratar 500 pessoas em Portugal.



Amanda Corrêa

Amanda Corrêa é jornalista, brasileira e mora no exterior há 5 anos. Possui Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho (Braga, Portugal). Morou na Inglaterra e atualmente reside em Portugal. Atua há 14 anos na área de Jornalismo, produção de conteúdos, mídias sociais. Com seus textos, ajuda brasileiros e estrangeiros a morarem fora do país e realizarem seus sonhos.

11 comentários em “As profissões que não exigem diploma em Portugal e pagam bem

  • 30 de maio de 2019 em 1:36 pm
    Permalink

    Sou Daniel Brito – tenho vários curso na área de TI, tenho técnico de informatica, CCENT CCNA pra net wok, eletrônica geral, Autocard 3D civil e REACT – NATIVE do ZERO ao PROFISSIONAL (Sistema MacOS e Android) so que esse ainda estou cursando,PHP do Zero ao PROFISSIONAL (Instituição – B7Web) (Cursando) como faço pra conquistar uma dessa vaga em Portugal?? estou sem emprego.

  • 23 de abril de 2019 em 11:32 am
    Permalink

    Olá Debora!! Tudo bem? Você começou o processo antes da mudança na lei? Qual curso está fazendo a validação?

  • 23 de abril de 2019 em 11:00 am
    Permalink

    Amanda, li sua matéria sobre a melhoria no processo de equivalência a partir de 1.jan.2019.

    Estou aqui em Portugal e a meses aguardando a universidade me fornecer a equivalência.

    A matéria está ótima, e me animou muito, mas não diz por aonde começar. Já gastei muito dinheiro e tempo. Preciso começar tudo novamente?

  • 20 de março de 2019 em 1:50 pm
    Permalink

    Olá Amanda boa tarde.
    Voce tem referencia de empresa da área de Civil, arquitetura ou engenharia que trabalhe ou avalie curriculo de Brasileiros.
    Se puder dar alguma orientação eu agradeço. Sou da área de gerenciamento de projetos e Projetista.
    Em Portugal conhecido como desenhador ou projetista.

    Obrigado pela atenção.

  • 18 de março de 2019 em 10:32 pm
    Permalink

    Muito interessante a matéria do site, como sempre!!! Gostaria de saber uma outra coisa, sobre as candidaturas de ensino superior e mestrado ( período que começam, se existe alguma bolsa para auxiliar nos gastos durante o curso, documentos exigidos para mestrado ou faculdade mesmo, se precisa de autenticação ou apostilagem, etc). Poderia falar da sua experiência um pouco pra nós, pois notei que fizeste mestrado em portugal.
    Um abraço!!

  • 13 de fevereiro de 2019 em 5:03 pm
    Permalink

    Oi, Amanda! Tenho gostado das tuas publicações e aproveito para perguntar como é ir com diploma de Direito, já registrado na OAB? Eu fiz algumas pesquisas sobre isso, mas ainda está muito vago. Para validá-lo, é necessário fazer algumas cadeiras para conseguir a validação?

  • 4 de fevereiro de 2019 em 1:48 pm
    Permalink

    Olá Jean! Eu sou a maior defensora de ter um diploma do ensino superior. Mas isso nem sempre é determinante para que o profissional seja bom e saiba fazer seu trabalho. Muitas vezes falar inglês e ter experiência profissional é mais importante para as empresas. Depende muito da empresa e do cargo. Eu sou formada na área e defendo que todos devam ter diploma. Mas também conheço excelentes jornalistas que nunca entraram em uma sala de aula da universidade. As vezes o dom é maior, mesmo sem canudo. Um grande abraço!

  • 3 de fevereiro de 2019 em 5:58 pm
    Permalink

    Dizer que “programador não precisa de diploma” é a mesma coisa que dizer “jornalista não precisa de diploma”. Fica o recado para a redatora.

  • 29 de janeiro de 2019 em 10:51 pm
    Permalink

    Ola meu nome é Anilton sou de cabo verde tenho 24 ano trabalho na aria de canalização a 3 ano de experiência e de calçetamento da estrada gostaria muito de ser escolhido pela uma das vagas obrigado 238 9363773

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *