Morar fora: as vezes a gente só precisa de um abraço

Morar fora abraco
Foto: Reprodução Pixabay

Morar fora é massa. São 1000 novidades, tudo é diferente, os dias nunca se repetem e a gente aprende a cada segundo. Morando fora a gente deixa de ser de um lugar só e passa a ser do mundo.






E o mais louco nisso tudo é que a gente acaba descobrindo que perdeu o medo. Tudo mudou e a nossa vida deu um giro, mas na verdade fomos nós que mudamos e talvez ainda nem tenhamos nos dado conta disso.

Leia também: Morar fora: agora o gringo sou eu

A correria é tão grande que o nosso cérebro cansa de processar tanta informação. É que não foi só a mudança (que já é coisa pra burro), é também ter que encarar um outro idioma, ter que decorar outras senhas, outro código postal, outros telefones. Além disso, a gente ainda precisa entender que a nossa vida recomeçou e que precisamos viver aqui e não lá.

banner-venda-livro-vazado-1

E os dias vão passando, entra mês, muda ano e a correria nunca acaba. A nossa maior luta é para nos tornarmos logo daqui para parar de sentirmos saudade de lá, é tocar a vida aqui sem lembrar da de lá,banner-quadrado-autoor é ter resiliência e garganta larga para engolir uns sapos enormes de gordos que nós nem imaginávamos que conseguiríamos.

Veja também: Morar fora: a pior das cirurgias

É louco, mas é massa. É cansativo, mas vale a pena. Tem dias que dá vontade de chorar, as vezes a gente pensa em desistir, mas quando as peças do nosso novo quebra-cabeça gringo se encaixam a gente tem vontade de sair berrando de tanto orgulho. É um milk-shake de sentimentos batidos na velocidade máxima.

Morar fora: mudar não é tão difícil quanto aceitar que algo acabou.

Porém, apesar de sermos extremamente corajosos e destemidos, as vezes a gente só precisa de um abraço. E não é um abraço qualquer. É o abraço de pai, de mãe, de irmão, do melhor amigo. Aqueles abraços a juro zero, reais, sinceros, na medida. Não, a gente não vai morrer, afinal de contas a bem da verdade é que a gente aprendeu a viver sem esses abraços, mas que as vezes faz falta… ah faz!

Morar fora: a felicidade não está lá fora.

*Para reservar hotéis com desconto, acesse o site Booking e pesquise as melhores opções de hospedagem.

*Para obter descontos de até € 41,00 euros na sua hospedagem pelo Airbnb, acesse o voucher de desconto.

*Se você vai viajar e precisa alugar um carro, nós recomendamos o site Rentalcars, ele compara os preços de diversas locadoras e você consegue economizar bastante.

*Para fazer transferências internacionais de dinheiro, o Vagas pelo Mundo recomenda o site Remessa Online. Acesse o site e ganhe 10% de desconto em todas as suas transações utilizando o VOUCHER Remessa Online: vagaspelomundo.



Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação, faz Doutorado em Estudos de Comunicação. Apaixonado por rock and roll, conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

Um comentário em “Morar fora: as vezes a gente só precisa de um abraço

  • 29 de setembro de 2019 em 7:16 pm
    Permalink

    Claudio…..
    Recebi hoje esse abraço, de ti meu irmão/amigo, 20 anos depois, e o abraço foi o mesmo! Sucesso e vida longa!!!

    Alemão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *