Braga bate Algarve e Lisboa no aumento dos preços dos imóveis

Morar em Braga
Foto: Amanda Corrêa.

Custo de vida em Portugal tem assustado moradores. Aumento dos imóveis em Braga foi de 22,6%

Que o aumento do custo de vida em Portugal tem crescido de forma assustadora muitas pessoas já sabem. Agora, é comprovado que aumento tem sido exorbitante principalmente na área da habitação. De acordo com INE (Instituto Nacional de Estatística), a cidade de Braga, no norte do país, registrou o maior crescimento nos preços de imóveis no terceiro trimestre de 2019.





Aumento no preços dos imóveis em Portugal

Segundo o INE (Instituto Nacional de Estatística) de Portugal, Braga teve um aumento de 22,6% entre as cidades portuguesas com mais de 100 habitantes, nos preços dos imóveis no último trimestre de 2019, sendo o maior aumento desde 2016.

O preços dos imóveis tem aumentado de forma rápida, assustando os moradores da cidade e de todo país. Portugal é um país pequeno, com cerca de 11 milhões de habitantes e um salário mínimo de € 635,00 euros por mês, um dos mais baixos da Europa.

Preço médio dos imóveis em Portugal

O preço médio dos imóveis em Portugal registrou o valor de € 1.054,00 euros por metro quadrado (m²). Um aumento de 2,2% em relação ao trimestre anterior e um aumento de 7,1% em relação do ano anterior.

Já as cidades e regiões onde o metro quadrado é mais alto é na Área Metropolitana de Lisboa, com o valor médio de € 1.423,00 euros por metro quadrado e na região do Algarve, com € 1.635,00 euros o metro quadrado em Portugal.

Ao todo, 44 cidades portuguesas registraram um preço médio de habitação superior a média nacional.

Antecedentes criminais não precisam mais passar pelo Consulado do Brasil em Portugal.

Onde é mais caro morar em Portugal

Custo de vida Portugal
Foto: Amanda Corrêa.

Veja os preços mais elevados do metro quadrado em Portugal, nas regiões mais caras para morar em Portugal (dados do INE do terceiro trimestre de 2019):

  1. Lisboa € 3.205,00 metro quadrado
  2. Cascais € 2.529,00 metro quadrado
  3. Oeiras € 2.211,00 metro quadrado
  4. Loulé € 2.089,00 metro quadrado
  5. Albufeira € 1.894,00 metro quadrado
  6. Lagos € 1.875,00 metro quadrado
  7. Tavira € 1.804,00 metro quadrado
  8. Porto € 1.802,00 metro quadrado
  9. Odivelas € 1.718,00 metro quadrado
  10. Lagoa € 1.662,00 metro quadrado
  11. Loures € 1.578,00 metro quadrado
  12. Faro € 1.532,00 metro quadrado

Em Lisboa, os dois bairros (freguesias) com os valores mais altos registrados pelo INE foram Santo António e Misericórdia, com preços superiores a € 4.500,00 euros o metro quadrado.

Já na cidade do Porto, no norte do país, os bairros que tiveram o maior aumento nos preços foram a união de freguesias Aldear, Foz do Douro e Nevogilde com um preço médio de € 2.414,00 euros o metro quadrado.

Leia também: Portugal planeja mudar regras dos vistos em 2020.

Aumento do custo de vida em Portugal

Atualmente é quase impossível uma família viver com dois salários mínimos em Portugal. O preço exorbitante dos aluguéis tem feito muitos imigrantes desistirem de Portugal e procurarem países da Europa com salários mais altos e atrativos. O aumento do custo de vida em Portugal tem sido sentido principalmente desde o ano passado.

Caos em Portugal, excesso de demanda no serviço de imigração.

Caos no SEF

Além disso, o caos que está o SEF de Portugal (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) tem causado muitos transtornos para os imigrantes que chegam para estudar, trabalhar, investir ou curtir a aposentadoria no país europeu.

O órgão está com muitos erros de vistos, erros de processos, falta de atenção, atrasos e falta de funcionários para atender a alta demanda. Nem o atendimento telefônico tem funcionado. E não há mais atendimento sem horário marcado.

grupo-novo-facebook

Enquanto isso, o governo português tem permanecido em silêncio, não tem falado sobre o assunto, nem resolvido aos transtornos causados pelo SEF em Portugal. Por outro lado, o governo português têm feito propaganda e eventos no exterior, para atrair mais imigrantes qualificados e dispostos a investir no país. Porém, sem a estrutura necessária para essas promessas.

A brasileira Isabel Gonçalves*, conta que os problemas com o SEF começaram ainda no Brasil, na solicitação do Visto de Estudo para Portugal.

“Pedi meu visto para estudante no Consulado de Portugal em Curitiba. O visto chegou 40 dias depois pelo Correio, mas para minha surpresa veio como Visto para Estada Temporária, que na teoria é de 365 dias para pessoas que precisam de tratamento médico, especialização, entre outras demandas. O meu visto veio para 300 dias, nem o SEF entendeu o porque disso, se a minha documentação estava toda correta e o meu Mestrado era de 2 anos.

Precisei refazer todo o processo depois que cheguei em Portugal. Cada atendente do SEF me dizia uma coisa, uma disse que precisaria esperar os 300 dias vencer. Quando fui renovar me disseram que já era pra ter feito esse pedido quando cheguei. O SEF se contradiz o tempo todo.

Resumo da ópera, só peguei a minha carteirinha com o Visto de Residência mais de um ano depois de estar morando em Portugal e com o mestrado já pela metade.

Como meu marido está como meu dependente, ficamos alguns meses no limbo, nem legais, nem ilegais, simplesmente em espera, isso é realmente terrível, pois é uma definição que não depende da gente, mesmo tendo feito tudo com antecipação e dentro do que o SEF pede. Durante 6 meses ficamos sem poder viajar, renovar o cadastro na Saúde e nem tirar carteira de habilitação”, explica Isabel.

*O nome da entrevistada foi trocado para preservar sua identidade.

Veja outra situação de erro do SEF de Portugal e de muitos transtornos causados:



Amanda Corrêa

Amanda Corrêa é jornalista, brasileira e mora no exterior há 5 anos. Possui Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho (Braga, Portugal). Morou na Inglaterra e atualmente reside em Portugal. Atua há 14 anos na área de Jornalismo, produção de conteúdos, mídias sociais. Com seus textos, ajuda brasileiros e estrangeiros a morarem fora do país e realizarem seus sonhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *