Ministro do Reino Unido afirma: passaporte de vacina é “discriminatório”

Passaporte de vacina
Foto: Blog Turismo Sustentabilidade.

Exigir um passaporte de vacina seria um ato de discriminação de acordo com o Ministro do Reino Unido. Confira tudo a seguir!

O Ministro dos Negócios e Indústria e Ministro da Implantação da Vacina COVID-19 do Reino Unido, Nadhim Zahawi, disse que o país “não tem planos de introduzir um passaporte de vacina”. Para Zahawi, tecnologia seria “discriminatória”. Em entrevista concedida para a BBC, o político foi categórico em afirmar que a exigência do documento é um ato de discriminação.


Exigência de comprovantes de vacina ganhando força

Enquanto a economia de vários países caminha a passos largos para o precipício por conta da pandemia, a vacina para a COVD-19 surge como uma espécie de ‘milagre’. Porém, diversos países começam a sugerir que farão a exigência de um passaporte de vacina para permitir a entrada de estrangeiros novamente em seus territórios.

Entretanto, o Ministro dos Negócios e Indústria e Ministro da Implantação da Vacina COVID-19 do Reino Unido, Nadhim Zahawi, disse em uma entrevista para o programa de Andrew Marr na BBC, que o “passaporte de vacina é discriminatório”.

Pandemia no Reino Unido: 700 mil pessoas deixaram Londres em 2020.

“Passaporte de vacina é discriminatório”

Durante sua participação no programa veiculado pela rede inglesa BBC, Zahawi também disse que não estava claro qual impacto tal movimento (o das vacinas) teria na transmissão do vírus. Quando questionado se o governo do Reino Unido estava considerando a ideia de um passaporte de vacina, Zahawi respondeu:

“Não, não estamos, e há várias razões pelas quais não estamos fazendo isso. Em primeiro lugar, as vacinas não são obrigatórias neste país, como Boris Johnson bem lembrou ao Parlamento – não é assim que fazemos as coisas no Reino Unido, fazemos por consentimento”.

Nadhim Zahawi — Ministro dos Negócios e Indústria e Ministro da Implantação da Vacina COVID-19 do Reino Unido

Ainda para Nadhim Zahawi, “ainda não sabemos qual é o impacto das vacinas na transmissão e seria discriminatório. Claro que você tem a evidência de que foi vacinado, realizado em seu Centro de Saúde, e se outros países exigirem que você mostre a prova dessa evidência, isso obviamente depende desses países”. Porém, fica claro que para o político o Reino Unido não fará tal exigência.

Cidadãos europeus no Reino Unido: governo oferece até £ 2.000 para quem quiser deixar o país depois do Brexit, entenda.

Debate sobre o passaporte de vacina

Em janeiro de 2021, a International Air Transport Association (IATA) pediu que a União Europeia tente chegar rapidamente a um acordo sobre a exigência ou não de um certificado digital comum para aqueles que foram vacinados contra Covid-19.

A IATA está apoiando uma iniciativa do primeiro-ministro grego Kyriakos Mitsotakis para uma certificação de vacinação harmonizada, que permitiria aos vacinados viajarem livremente pela Europa sem a exigência da realização de um teste de Covid-19.

Agora, além da saúde, o que está em jogo é o respeito pelas liberdades individuais e de como isso deverá caminhar nos próximos meses e anos. O tal “passaporte de vacina” está gerando conflitos em vários países.

E você, o que pensa sobre isso? Deixe sua opinião nos comentários!

*Veja também o vídeo novo do nosso canal do Youtube e se gostar inscreva-se no canal!

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação e Doutor em Estudos de Comunicação, é apaixonado por rock and roll e conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

blank

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *