Nova rota de trem panorâmico nos Estados Unidos fará viagens pelas Montanhas Rochosas

trem panoramico nos Estados Unidos
Foto: Rocky Mountaineer.

A nova rota de trem panorâmico nos Estados Unidos será lançada em 2021 e promete viagens inesquecíveis. Confira!

A empresa Rocky Mountaineer, especializada em viagens de trens panorâmicos no Canadá, anunciou que começará a operar viagens de trem de luxo para o sudoeste dos Estados Unidos em 2021. A rota, batizada de Rockies to the Red Rocks, fará o trajeto entre Denver, no estado do Colorado até Moab, em Utah, com pernoite em Glenwood Springs, Colorado.


Nova rota de trem panorâmico nos Estados Unidos

A Rocky Mountaineer já opera três rotas ferroviárias no Canadá com trens panorâmicos. Porém, a empresa informa que está implementando uma nova rota de dois dias nos Estados Unidos. A ideia é dar oportunidade para que os passageiros conheçam as Montanhas Rochosas americanas.

Além da oportunidade de explorar o cenário magnífico e os destinos que são icônicos na região, os turistas poderão passar de trem panorâmico nos Estados Unidos por cânions, desertos cromáticos e arcos naturais. O trem panorâmico nos Estados Unidos passará ao lado de rios, por cadeias de montanhas e por antigos desfiladeiros rochosos enquanto viaja entre a cidade de Denver e Moab.

Leia também: conheça as novas rotas de trens panorâmicos na Europa.

O trajeto

trem nos Estados Unidos
Foto: Rocky Mountaineer.

A nova rota, batizada de “Rockies to the Red Rocks”, é repleta de destaques que podem ser melhor vistos de trem. No caminho, o trem panorâmico nos Estados Unidos passará pelo Ruby Canyon, Mount Logan e Continental Divide. Confira abaixo o roteiro preparado:

Dia 1: Denver para Glenwood Springs

A jornada começa na cidade de Denver, no estado do Colorado. Ao partir, o novo trem panorâmico nos Estados Unidos viaja ao longo do Rio Colorado por uma série de desfiladeiros e paisagens acidentadas. Além do visual, os passageiros podem tomar o café da manhã enquanto olham a vista panorâmica da barragem de Gross Reservoir.

Aos poucos a rota ganha elevação. Então a Rocky Mountaineer diz que o trem passará pelo túnel Moffat que foi inaugurado em 1928 e tem aproximadamente 10 quilômetros de comprimento. Um almoço de três pratos com inspiração regional é servido enquanto os funcionários da empresa e que estão a bordo contam histórias sobre a região por onde o trem panorâmico viaja.

O primeiro dia de viagem permite ainda que os passageiros vejam cânions como os Byers Canyon e Gore Canyon. Nesses locais de abundante vida selvagem, é onde vivem e são facilmente vistos carneiros selvagens, ursos, leões da montanha, veados e até marmotas.

Veja também: banco digital possibilita abertura de conta em euros no Brasil.

Dia 2: Glenwood Springs para Moab

viagem de trem Estados Unidos
Foto: Rocky Mountaineer.

Depois de usufruir do hotel e de descansar em Glenwood Springs, o trem panorâmico nos Estados Unidos parte para mais um dia de vagem. Montanhas, penhascos do deserto e formações rochosas formam o cenário que é complementado por um café da manhã quente de dois pratos a bordo.

O trem passa por Parachute Creek e Monte Logan em direção ao De Beque Canyon, um desfiladeiro estreito de 24 quilômetros com penhascos de camadas de rochas sedimentares. É possível ver também o Monte Garfield, o ponto mais alto dos Book Cliffs e se impressionar com penhascos e montanhas de arenito que se estendem por quase 320 quilômetros de oeste a leste.

O trem continua a seguir o Rio Colorado enquanto cruza a divisa entre Mack, Colorado, e Westwater, Utah. Os passageiros podem ver as impressionantes formações rochosas vermelhas que revestem as falésias no Ruby Canyon, que só é acessível por trem ou rio. Este cânion tem 40 quilômetros de extensão e leva o nome dos penhascos de arenito vermelho que margeiam as paredes do cânion.

Depois de cruzar a divisa do estado Colorado-Utah, os turistas podem ver o Monte Peale, o ponto mais alto das montanhas La Sal. Por conta da altura, as montanhas costumam ficar cobertas de neve até o início do Verão. Finalmente o trem chega a Moabe e os passageiros são recebidos pelo cenário de arenito vermelho brilhante no Parque Nacional dos Arcos (Arches National Park).

montanhas nos Estados Unidos
Foto: Parque Nacional dos Arcos – Rocky Mountaineer.

Skyglass Canela: inaugurada passarela de vidro na Serra Gaúcha.

Experiência a bordo do trem panorâmico nos Estados Unidos

De acordo com a Rocky Mountaineer, assim como nas três rotas ferroviárias exploradas pela companhia no Canadá, o trem panorâmico nos Estados Unidos só viaja durante o dia. Além disso, é equipado com janelas grandes para que os passageiros não percam, nem por um momento, as paisagens que mudam constantemente pelo trajeto.

A empresa disponibiliza o serviço “SilverLeaf” durante a viagem entre o Colorado e Utah. Os vagões são expansivos e contam com uma cúpula de vidro que facilitam a visualização da paisagem que é impressionante. Também são contadas as histórias dos locais por onde o trem passa e são servidas refeições de inspiração regional.

É possível adquirir o pacote “SilverLeaf Plus”, que inclui acesso exclusivo e ilimitado ao vagão lounge. Nele os passageiros podem usufruir de coquetéis exclusivos e o vagão oferece ainda um espaço adicional interno e uma pequena área externa de visualização. Além disso, a empresa promete que os turistas podem desfrutar de uma experiência gastronômica elevada e de bebidas alcoólicas premium.

Descubra o Guia Michelin 2021: conheça os restaurantes estrelados em Portugal.

Conheça tudo sobre o trem panorâmico nos Estados Unidos

Viagem de trem EUA
Foto: Rocky Mountaineer.

Portanto se você tenha interesse em saber mais sobre o trem panorâmico nos Estados Unidos, acesse o site da empresa. Os preços iniciam em US$ 1.250 dólares por pessoa, porém você pode solicitar mais informações e entrar em contato com os organizadores da viagem. A previsão é que a rota esteja em funcionamento em agosto de 2021. Tenha uma boa viagem!

Leia também: Viajar com menores: veja a lista de documentos necessários.

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação, faz Doutorado em Estudos de Comunicação. Apaixonado por rock and roll, conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *