União Europeia expande Programa Erasmus+ até 2027

Programa Erasmus expandido
Foto: Uczelnia Łazarskiego.

Com a expansão do Programa Erasmus+, a União Europeia vai investir mais de € 26 bilhões euros até 2027. Saiba mais!

Até 12 milhões de jovens poderão se beneficiar do Programa Erasmus+ nos próximos sete anos. Depois de uma equipe de negociação do Parlamento Europeu e da presidência alemã do Conselho chegarem a um acordo provisório para expandir o Programa Erasmus+ para o período de 2021-2027.


Sobre o Programa Erasmus+

O Programa Erasmus+ é um programa europeu que apoia a educação, a formação, a juventude e o esporte. Com um orçamento milionário, o Programa Erasmus+ oportuniza que ao menos quatro milhões de europeus tenham a oportunidade de estudar, seguir uma formação e adquirir experiência fora dos seus países de origem.

Importante ressaltar que o Programa Erasmus+ não oferece oportunidades apenas para os estudantes. Isso porque o Erasmus+ resulta da fusão de sete programas anteriores e contempla a mobilidade de alunos, professores e profissionais que podem visitar, estudar e trabalhar em diversas instituições de ensino da Europa e do mundo.

Veja também: banco digital possibilita abertura de conta em euros no Brasil.

União Europeia expande Programa Erasmus + até 2027

A partir de 2021 até ao final de 2027, a União Europeia prevê triplicar o número de alunos que se beneficiam do Programa Erasmus+. A organização quer que o programa seja mais inclusivo, não só por abranger os estudantes do ensino superior, mas também todos os tipos e níveis de ensino e formação.

Leia mais: Wizz Air lança novos voos para a Europa.

Orçamento para a expansão do Erasmus+

Negociadores de ambas as partes concordaram em alocar um orçamento de € 24,57 bilhões em preços correntes mais € 1,7 bilhão em preços de 2018, dos quais 83% serão destinados para atividades na área de educação e treinamento. 10,3% serão alocados em ações na área dos jovens e 1,9% para atividades relacionadas ao esporte.

Comentando o acordo, a Ministra da Educação e Pesquisa da Alemanha, Anja Karliczek, expressou sua satisfação com o novo acordo, observando que, por meio dele, a presidência alemã do Conselho pretende “gerar entusiasmo para a Europa”.

“O novo e maior programa para o período de 2021-2027 concentra-se na inclusão. Isso nos permite apoiar novas iniciativas e atrair um número ainda maior de participantes ”.

Anja Karliczek — Ministra da Educação e Pesquisa da Alemanha

Aproveite para ler: conheça as novas rotas de trens panorâmicos na Europa.

O relator do Parlamento Europeu, Milan Zver, também ficou satisfeito com o acordo e salientou que agora € 26 bilhões de euros podem ser investidos em formação, educação e financiar de forma mais adequada três iniciativas que foram testadas com sucesso desde 2018, que são:

  • Centros de Excelência Profissional;
  • DiscoverEU;
  • Universidades europeias.

Já a Presidente da Comissão de Cultura e Educação do Parlamento Europeu, Sabine Verheyen, afirmou que até ao momento o Programa Erasmus+ tem tido baixos níveis de participação de pessoas com menos oportunidades. Sabine acredita que o novo programa vai mudar isso.

“Aqueles que perderam no passado terão melhorado significativamente o acesso à aprendizagem e à mobilidade, por meio das disposições específicas que inserimos”.

Sabine Verheyen — Presidente da Comissão de Cultura e Educação do Parlamento Europeu

O Erasmus é o programa mais emblemático da Europa

Após a obtenção do acordo, a Comissão da União Europeia emitiu um comunicado de imprensa. Para o Vice-Presidente da Comissão, Margaritis Schinas, o Erasmus é responsável pela promoção do modo de vida europeu e Margaritis chamou o programa de “a joia da nossa coroa”.

“Erasmus é o programa mais emblemático da Europa, a joia da nossa coroa. As gerações Erasmus representam a essência do nosso estilo de vida europeu. Unidade na diversidade, solidariedade, mobilidade, apoio à Europa como espaço de paz, liberdade e oportunidades”.

Margaritis Schinas — Vice-Presidente da Comissão Europeia

Assim como Margaritis Schinas, Mariya Gabriel que é Comissária da União Eurpeia para a Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude também saudou o acordo. Mariya disse que ao longo dos últimos 30 anos, o programa Erasmus impulsionou o desenvolvimento pessoal, social e profissional de mais de 10 milhões de pessoas, quase metade delas entre 2014 e 2020.

Trem na Europa: rotas alta velocidade ligarão Londres, Barcelona, Lisboa e Roma.

Sobre o novo Programa Erasmus+ 2021-2027

Erasmus Europa
European Commission | Medium.

O Programa Erasmus+ (2021-2027) abrangerá três áreas de ação e os principais objetivos específicos de cada uma serão os seguintes:

  • Na área de ação educação e formação: a promoção da mobilidade para fins de aprendizagem de indivíduos e grupos;
  • No domínio da juventude: a promoção da mobilidade para aprendizagem não formal e informal e a participação ativa dos jovens;
  • No campo do esporte: a promoção da mobilidade para aprendizagem de equipes esportivas.

Num comunicado de imprensa, o Conselho da União Europeia (UE) também salienta que, através do programa, a UE pretende alcançar cooperação, qualidade, inclusão, criatividade e inovação ao nível das organizações e políticas nos três domínios listados acima. “Além disso, o Erasmus + apoiará o ensino, a aprendizagem, a investigação e os debates sobre questões de integração europeia, incluindo sobre os desafios e oportunidades futuros da União através das chamadas ações Jean Monnet ”, destaca o Parlamento.

Com o novo Programa Erasmus + (2021-2027), a União Europeia também planeja facilitar a participação de organizações menores e pessoas com menos oportunidades, entre outras pessoas com deficiência e migrantes, mas também cidadãos da UE que vivem em áreas remotas.

Como também apontado pelo relator Milan Zver, o programa também incluirá DiscoverEU, Universidades europeias e Centros de excelência profissional, que estão em fase piloto com sucesso desde 2018. O programa também será mais simples e gerenciável, graças a sistemas de TI melhores e mais fáceis de usar e menos burocracias.

Estudar fora: 7 dicas fundamentais para se dar bem no exterior.

Amanda Corrêa

Amanda Corrêa é uma jornalista brasileira que mora no exterior há 7 anos. Possui Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho (Braga, Portugal). Morou na Inglaterra e atualmente reside em Portugal. Atua na área de Jornalismo, produção de conteúdos e mídias sociais. Com seu trabalho, ajuda brasileiros e estrangeiros a morarem fora do país e realizarem seus sonhos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *