Robôs de delivery no Reino Unido: máquinas sendo usadas para entregas

delivery no Reino Unido
Foto: Reprodução Robotics & Automation News

O delivery no Reino Unido anda comprometido com a escassez de pessoal e empresas investem em robôs para aliviar pressão nas entregas. Saiba tudo!

A cidade de Milton Keynes é famosa por suas rotatórias e estátuas de vacas de concreto. Porém, a cidade inglesa agora está ficando famosa por outro motivo. É que um exército de robôs de entrega de compras são vistos pelas ruas diariamente. Os veículos automatizados de seis rodas, lançados há três anos, percorrem as ruas residenciais e Milton Keynes e estão sendo uma alternativa para o delivery no Reino Unido.


Delivery no Reino Unido com robôs?

Os robôs de delivery no Reino Unido estão se tornando uma alternativa não só por conta da falta de pessoal para entregas, mas por conta da pandemia. Hoje são 200 em Milton Keynes e nas proximidades de Northampton, que introduziu o serviço em 2020, com planos para até 500 em ação em mais cinco lugares em todo o país. De acordo com os operadores dos robôs, as máquinas brancas ganharam notoriedade e importância quando o Reino Unido decretou lockdown durante a pandemia.

“Todo mundo precisava de uma entrega sem contato durante a pandemia”, disse Andrew Curtis, chefe das operações do Reino Unido na Starship Technologies, à AFP. A empresa americana, que quadruplicou suas entregas no Reino Unido, agora faz 1.000 entregas por dia no país.

“A demanda não diminuiu”, disse Curtis, acrescentando que, à medida que as restrições para ficar em casa foram suspensas, os usuários ficaram mais dispostos a experimentar a tecnologia. A empresa fechou um novo acordo com o parceiro de longa data da rede de supermercados do Grupo Co-op, para fornecer 300 novos robôs até o final do ano e o triplo das entregas.

Falta de trabalhadores estrangeiros no Reino Unido: salários sobem 30%.

Sobre os robôs

delivery robo
Foto: AFP.

Equipados com câmeras, sensores e um alarme alto se necessário, os robôs, criados pela primeira vez em 2014 pelos dois fundadores do Skype, são 99% autônomos. Mas se eles ficarem presos em uma calçada mal feita, um operador pode assumir o controle.

Uma vez lançado, o robô navega pelo labirinto de trilhas que serpenteiam entre as casas de tijolos vermelhos de Milton Keynes. Quando o caminho está livre, ele pode atingir velocidades de até seis quilômetros por hora, um pouco mais do que um ritmo de caminhada razoável. As entregas chegam aos clientes em menos de uma hora.

A rede de supermercados Co-op disse que o uso dos robôs é ecologicamente correto, além de conveniente. Com 70% dos clientes da Starship indo para uma loja sem uma viagem de carro ou recebendo uma entrega de um veículo movido a combustível. No sistema de entrega, os robôs permanecem propriedade da Starship e os pedidos são feitos por meio de um aplicativo desenvolvido por eles.

Bônus para motoristas de caminhão no Reino Unido: empresas pagam até £ 1.500 de boas-vindas.

A Starship Technologies

A empresa Starship Technologies gerencia 1.000 robôs, principalmente no Reino Unido e nos Estados Unidos. Porém, a empresa está expandindo seus negócios e já tem robôs para delivery na Estônia, Alemanha e Dinamarca. A empresa de tecnologia não está sozinha na corrida do robô de entrega. Nos Estados Unidos, por exemplo, onde atua principalmente em campi universitários, está disputando posições com start ups e gigantes da logística, como Amazon e FedEx.

À medida que seus números aumentam, os drones de entrega sobre rodas têm atraído críticas dos sindicatos, que temem tirar empregos das pessoas. O debate chegou às prefeituras dos Estados Unidos, que têm a tarefa de decidir os limites das viagens de entrega e as regras de compartilhamento do pavimento.

Vistos para caminhoneiro no Reino Unido: urgência para diminuir a escassez.

Impacto na maneira como funciona o delivery no Reino Unido

Em frente a uma das lojas do varejista em Milton Keynes, que foi a primeira a usar as máquinas de entrega em 2018, uma dezena de robôs está pronta e esperando. Com sua antena no topo com uma bandeira laranja para ajudar na visibilidade, eles se parecem quase com uma fila de carrinhos de choque vazios. Os funcionários só precisam sair da loja e colocar o pedido dentro de um dos robôs. Com a tampa fechada, a máquina parte imediatamente para realizar a entrega.

“Felizmente, não tivemos nenhum acidente até agora”, disse Curtis, acrescentando que, no Reino Unido, a Starship obteve permissão das autoridades locais para cada um de seus locais de operação.

*Veja também porque o Reino Unido está com falta de caminhoneiros:

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação e Doutor em Estudos de Comunicação, é apaixonado por rock and roll e conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

blank

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *