Vagas para garçom na Europa: faltam quase 1 milhão de profissionais

vagas para garçom na Europa
Foto: Taste of Home.

São milhares de vagas para garçom na Europa e para profissionais de turismo e hotelaria. Setores com grave falta de pessoal!

A pandemia deu um duro golpe no setor de turismo, hotelaria e de restaurantes em todo o mundo. Na Europa o fim da pandemia tem feito os proprietários de hotéis e restaurantes encontrarem um outro grave problema: a falta de profissionais para trabalhar. É isso mesmo, pois ao se analisar os dados das organizações de hotelaria e restauração dos principais países da União Europeia, é possível verificar que existem atualmente mais de 900.000 vagas para garçom na Europa, sendo que mais de 600 mil delas somente na França e Itália.


Vagas para garçom na Europa

As milhares de vagas para garçom na Europa estão abertas por todo o continente segundo uma publicação do portal de notícias Europa Today, porém em alguns países a dificuldade em encontrar profissionais está colocando os negócios em risco.

De acordo com a agência francesa de emprego, somente nas empresas dos alpes são 361 mil oportunidades de emprego abertas na França. O governo francês, como forma de se proteger, está pressionando para que haja um aumento nos salários no setor de turismo.

Na Itália, outro país europeu com grandes expectativas na área do turismo, a quantidade de vagas chega em 300 mil funcionários. Aliás, a dificuldade está fazendo com que o governo italiano procure maneiras de amenizar a falta de profissionais.

No terceiro degrau do pódio devido à falta de garçons, cozinheiros e outros funcionários para o setor de turismo está a Espanha, onde a associação comercial de pequenas e médias empresas estimou que 100.000 empregos ainda estão vazios, apesar da temporada turística de verão já ter começado.

Vagas de emprego na Bélgica: país com número recorde de oportunidades.

Outros países em dificuldade para contratar profissionais

A Holanda também enfrenta uma escassez histórica de pessoal: de acordo com o escritório nacional de estatísticas, existem cerca de 45.000 vagas no país. Só em restaurantes, faltam 111 trabalhadores em 1000 lugares disponíveis, o dobro em relação ao ano passado: nunca, em nenhum setor econômico, tal índice foi alcançado na Holanda. O mesmo vale para a Áustria, onde o setor reclama da impossibilidade de preencher 35 mil vagas. Na Alemanha, são 20 mil as vagas para garçom.

Voltando ao sul da Europa, na Grécia faltam 50 mil funcionários para o setor mais importante da economia. A indústria do turismo grego propôs ao governo usar refugiados ucranianos para cobrir pelo menos parcialmente as deficiências, mas profissões como a de cozinheiro certamente não são fáceis de substituir.

Na Croácia, o número de vagas para garçom ronda os 10 mil, mais ou menos o mesmo valor reportado pelas associações de restaurantes e hotéis em Portugal, que estão com falta de profissionais principalmente no sul do país, no Algarve.

Leia mais: melhores empresas para trabalhar em Luxemburgo.

Vagas para garçom na Europa: verão promete ser caótico

E se você pensa que sobram somente vagas para garçom na Europa, saiba que mais de 1000 voos de verão já foram cancelados por todo o continente também segundo o Europa Today. As companhias aéreas e empresas que gerenciam aeroportos estão lutando contra a falta de pessoal e tensões sindicais.

Centenas de voos programados para o verão na Europa já foram cancelados e foi a Lufthansa e às suas subsidiárias (Eurowings, Swiss Air e Brussels Airlines) que encabeçam a lista de cancelamentos.

A Lufthansa já cancelou 900 voos dentro da Europa de ou para os aeroportos de Munique e Frankfurt. Várias centenas de voos também serão cancelados pela Eurowings e pela Swiss Airlines, ambas controladas pela empresa alemã. Enquanto a belga Brussels Airlines, também do grupo Lufthansa, cortou 148 voos este verão, explicando que tinha tomado esta decisão “para reduzir a carga de trabalho de verão” dos seus colaboradores.

Empresas que patrocinam visto no Canadá: veja a lista.

Os problemas não se limitam à Lufthansa e empresas relacionadas. Após os protestos na Itália das tripulações da Ryanair, EasyJet e Volotea, os sindicatos da Ryanair, desta vez na Espanha, anunciaram prováveis ​​greves para o verão. Os gerentes de aeroportos também têm suas dores de cabeça sindicais. Os trabalhadores do aeroporto francês Charles De Gaulle estão em greve por aumentos salariais, com um quarto dos voos cancelados.

Os aeroportos de Dublin (Irlanda) e Heathrow (Londres – Inglaterra) estão contratando monitores às pressas, enquanto o Aeroporto de Schiphol (Amsterdã – Holanda) está aumentando os salários dos funcionários. A Espanha anunciou recentemente a contratação de ao menos 500 novos policiais para controle de passaportes em aeroportos e destinos turísticos movimentados, incluindo Madri Barajas.

*Ouça também o Podcast Partiu Morar Fora, disponível no Spotify:

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação e Doutor em Estudos de Comunicação, é apaixonado por rock and roll e conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

blank

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *