Fronteiras abertas: partir ou não partir?

fronteiras de Portugal estão abertas
Foto: André Ulysses De Salis – Pexels.

O momento tão aguardado chegou, as fronteiras abertas em Portugal para os brasileiros e agora precisamos decidir, ficar ou partir em busca da realização dos nossos sonhos.

Neste mês de setembro as fronteiras de Portugal foram abertas para brasileiros que vivem no Brasil e essa notícia gerou uma corrida em busca de passagens e reserva em hotéis, um movimento esperado e bastante natural, mas claro que precisamos refletir sobre nossas emoções e sentimentos.

Chegou a hora de tomar a decisão, devo ou não morar fora? Ao longo dos últimos meses conversamos bastante por aqui sobre isso e em como fazer uma transição saudável e se aproxima o momento de sermos assertivos, estratégicos e acima de tudo, justos com os nossos sonhos


Fronteiras abertas: partir ou não partir?

Passamos tantos meses pensando em morar fora, em como seria nossa experiência no exterior e certamente você já leu diversos conteúdos sobre o assunto, aproveitando o lockdown para levar suas angústias para terapia, conversando com a família sobre sua possível partida e por diversas vezes se imaginou morando fora.

Essa preparação mental é bastante relevante e necessária, e diria que até que indispensável, afinal de contas quando nossa mente começa a formular um repertório de algo que desejamos viver e de circunstâncias que podem acontecer, tendemos a nos organizar internamente e consequentemente estarmos melhor preparados. 

Saia do plano das ideias e se conecte ao seu poder de realização.

Uma decisão que requer muito planejamento

A decisão de morar fora não pode ser tomada de forma leviana, impulsiva e tampouco desorganizada. A experiência no exterior pode ser incrivelmente especial, mas se mal planejada pode ser bastante tóxica para sua carreira, vida pessoal e amorosa.

Quando não organizamos as coisas tendemos a lidar com o acaso e a imprevisibilidade, dupla esta capaz de despertar ansiedade, estresse, aceleração de pensamento e insônia, ou seja, um combo poderoso para sua desestabilização emocional e mental. Meu discurso não é um mal presságio, mas sim uma orientação para que possas morar fora e aproveitar ao máximo cada vivência. 

Talvez neste momento você esteja pensando, as fronteiras abertas e “que organização que nada, eu sempre vivi cada dia de uma vez, essa questão se se organizar não é para mim, eu simplesmente vou e pronto”. Esse é um pensamento natural e muitas vezes corriqueiro, que revela o quanto precisamos amadurecer, expandir nossa consciência e acima de tudo, entender que morar fora não é a mesma coisa que morar onde moramos.

Morar fora: entre o agora e o para sempre.

Precisamos de uma zona segura para nossa saúde mental

O respeito à cultura, os desafios que um novo idioma propõe, a economia específica daquele país e políticas migratórias muitas vezes desfavoráveis podem nos colocar em sérios apuros. Para cada decisão nossa existe uma consequência e é importante que tenhamos essa clareza, pois quem está ao nosso lado também sofrerá. 

Estamos tão acostumados com o jeitinho e com concessões que ao morar fora tendemos a acreditar que essa realidade se repetirá, mas é um ledo engano. Ao sairmos do Brasil devemos deixar espaço em nossas malas para acolhermos o novo país ao qual estamos migrando. Assim poderemos criar uma zona segura para nossa saúde emocional, financeira e física, que quando fortalecidas e estáveis são poderosas e nos permitem alcançar a prosperidade. 

Chegou o momento de decidir, partiu morar fora? Organize sua mente, reveja suas prioridades, analise suas possibilidades, refaça suas contas, verifique suas chances de sucesso, tenha clareza das suas limitações. E por favor, não esqueça, escute seu coração.

Seja fiel aos seus valores, respeite suas crenças e acredite que seus sonhos são possíveis! 

Leia também: Nenhuma experiência no exterior será saudável se você estiver fugindo.

*Caso você deseje me acompanhar pelas redes sociais, sugerir novos conteúdos e conferir mais dicas como essas, acesse o meu Instagram. Fale comigo também pelo WhatsApp.

Veja também as dicas do Claudinho e da Amanda para se planejar para morar no exterior:

Vitor Luz

Vitor Luz possui formação em Jornalismo e Psicologia e ao longo da sua trajetória profissional pode se dedicar a busca de novos conhecimentos e fez uma formação em Inner Vision, Programação Neurolinguística – PNL e Certificação Internacional em Master Coaching Mentoring e Holomentoring – ISOR. Atualmente mora na cidade do Porto em Portugal para fazer um Mestrado em Psicologia, na área da Psicogerontologia. Enquanto Psicólogo Nômade Digital realiza atendimento online para brasileiros espalhados pelo mundo, os auxiliando a lidar com a saudade, medo, solidão, desilusões amorosas, relacionamentos afetivos e transição de carreira.

blank

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *