50 vagas na Web Summit: empresa planeja um maior crescimento e está contratando

vagas na Web Summit
Foto: Técnico Lisboa – Universidade de Lisboa.

Empresa de eventos internacionais está se preparando para expansão em 2022. Confira as vagas na Web Summit.

A empresa de eventos internacionais Web Summit está se preparando para a expansão em 2022, conforme começa a licenciar seu software próprio. Desse modo, a Web Summit anunciou 50 vagas de emprego na sede da empresa em Dublin, bem como em Lisboa, Toronto, São Francisco e novos mercados à medida que se expande.


Vagas na Web Summit

Com o mercado em expansão, a Web Summit está com vagas abertas e pretende contratar novos colaboradores para sua equipe. O recrutamento será focado em engenharia, produto, marketing, mídia, vendas, produção e design. Depois de hospedar sua principal conferência anual virtualmente em dezembro de 2020, o Web Summit 2021 está planejado para ser um retorno à experiência de conferência presencial.

O evento espera receber mais de 70 mil participantes em Lisboa, Portugal, no próximo mês de novembro de 2021. O trabalho na empresa também teve que ocorrer remotamente no ano passado, e a Web Summit disse em um comunicado que continuará a desenvolver a cultura de trabalhar remotamente.

Entretanto, o anúncio de 50 vagas na Web Summit é considerado uma primeira fase de contratações em 2021, pois a empresa traça um plano de expansão para 2022.

Vagas na Johnson & Johnson: multinacional está com 2.363 oportunidades.

Plataforma de eventos virtuais

A Web Summit também anunciou no último 10 de março que licenciará seu próprio software de conferência. O primeiro cliente é o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, que usará o software Web Summit para um evento no final do mês de março.

Este software de hospedagem de eventos foi desenvolvido internamente na Web Summit ao longo de quase uma década. Ele foi originalmente projetado para servir como uma ferramenta de rede complementar alinhada com os eventos presenciais da empresa. No entanto, devido às restrições da COVID-19, se tornou a plataforma da Web Summit para hospedar conferências totalmente virtuais.

Veja mais: cidades menores do Canadá estão atraindo mais imigrantes.

Software em alta

O software da Web Summit foi usado no ano passado para hospedar seu principal evento anual, bem como a Collision. A conferência de tecnologia Collision será mais uma vez hospedada virtualmente na plataforma em abril de 2021. A pressa para se adaptar aos encontros virtuais em 2020 provavelmente terá um impacto nos eventos futuros.

Muito organizadores ao redor do mundo começaram a perceber as possibilidades de criar eventos híbridos que podem ser acessíveis de qualquer lugar. Na semana passada, por exemplo, a plataforma de eventos virtuais Hopin arrecadou US$ 400 milhões de dólares em sua última rodada de financiamento. A empresa agora está avaliada em mais de US$ 5 bilhões de dólares.

Saiba mais: 27 empresas na Irlanda que estão contratando.

De acordo com os dados compilados pela Sifted, isso torna a Hopin Europa a start-up de crescimento mais rápido de todos os tempos. Além de expandir sua presença global, o Web Summit pretende aumentar sua base de clientes para o software em 2022.

“Foi uma longa jornada e fomos devagar, aperfeiçoando o software ao longo dos anos. Não temos pressa em receber novos clientes e vamos com calma. Em 2022, esperamos fazer parceria com outros grandes eventos”.

Paddy Cosgrave — Cofundador e CEO da Web Summit

Vagas na Web Summit abertas

São 50 vagas na Web Summit e a multinacional está recrutando novos colaboradores em diversos países. A empresa está com vagas em Portugal, na Irlanda e no Reino Unido, porém com o plano de expansão deverá disponibilizar novas oportunidades de emprego brevemente. Acesse o portal de empregos e carreiras da companhia, selecione a oportunidade, leia os requisitos e submeta diretamente sua candidatura. Boa sorte!

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação e Doutor em Estudos de Comunicação, é apaixonado por rock and roll e conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *