Vagas em fazendas da Itália: são mais de 100.000 oportunidades sazonais

vagas em fazendas da Itália
Foto: Hortify.

São milhares de vagas em fazendas da Itália, especificamente no sul do país europeu, para trabalhadores sazonais. Saiba mais!

A filial da Associação de Agricultores Italianos Coldiretti, localizada na região sul de Puglia, na Itália, anunciou que está enfrentando uma escassez de mão de obra. Existem ao menos 100.000 vagas em fazendas da Itália para empregos sazonais que são essenciais para a colheita de Verão. Saiba como se candidatar.


Vagas em fazendas da Itália

Por meio de um comunicado, a Associação Coldiretti enfatizou que a agricultura italiana precisa de pelo menos 100.000 trabalhadores sazonais para garantir os campos de colheita de verão, de acordo com informações do portal de notícias Schengen Visa Info. “É necessário acelerar a liberação das licenças para permitir que trabalhadores de fora da União Europeia, admitidos à entrada com o decreto de fluxo, possam chegar à Itália para trabalhar em empresas agrícolas o mais rápido possível”, diz a nota.

Além disso, em comparação com 2021, as cotas de trabalhadores de fora da União Europeia (UE) aceitas por decreto na Itália aumentaram para 69.000. Destes, a fatia reservada para a agricultura é de 42.000.

De acordo com uma pesquisa, a presença de trabalhadores estrangeiros tornou-se estrutural na agricultura italiana, pois um em cada quatro produtos agrícolas é colhido na Itália por mãos estrangeiras, o que representa mais de 29% do total de dias de trabalho necessários para este setor.

Vagas na KPMG Portugal: empresa quer 500 novos colaboradores.

São necessários mais imigrantes na Itália para a agricultura

A nota da Associação Coldiretti diz ainda que “são sobretudo os trabalhadores temporários que chegam do estrangeiro e todos os anos atravessam a fronteira para trabalhar sazonalmente e depois regressam ao seu país, estabelecendo muitas vezes relações profissionais duradouras e amizades com empresários”.

A InfoMigrants também informou que a filial da Coldiretti em Puglia alertou que a maior escassez de mão de obra nos campos da região é mais perceptível nos pomares de cereja e tomate, citando como resultado 30.000 “dias de trabalho perdidos”.

Enquanto isso, de acordo com dados do CREA, a escassez de trabalhadores agrícolas italianos e estrangeiros no setor agrícola gera uma média de 1,2 milhão de empregos. A Coldiretti também destacou que a contribuição dos trabalhadores migrantes para a agricultura da Puglia é particularmente importante na colheita de tomates, aspargos e alcachofras.

Vagas na Embraer no Brasil: companhia está com 1.000 novas oportunidades.

Vagas em fazendas da Itália

A chegada de trabalhadores estrangeiros ajudaria a preencher as vagas em fazendas da Itália. Além disso, gera impacto na economia da colheita e também garante o abastecimento de alimentos para a população em um momento particularmente difícil causado pela inflação, falta de alguns produtos e bloqueio das exportações devido ao conflito na Ucrânia e a situação na China.

Ao mesmo tempo, a Associação Coldiretti exige do governo italiano um plano de formação profissional e medidas de desburocratização para conter os custos trabalhistas com uma simplificação radical que possa garantir flexibilidade e duração do trabalho.

Veja também como fazer um currículo perfeito.

*Ouça também o Podcast Partiu Morar Fora, disponível no Spotify:

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação e Doutor em Estudos de Comunicação, é apaixonado por rock and roll e conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

blank

2 thoughts on “Vagas em fazendas da Itália: são mais de 100.000 oportunidades sazonais

  • blank
    24 de maio de 2022 em 9:04 pm
    Permalink

    Gostaria de obter mais informações sobre trabalho em fazendas na Itália.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *