Vagas Inglaterra energia eólica: setor está recrutando

vagas Reino Unido em energia eólica
Foto: Superinteressante.

As vagas Inglaterra energia eólica surgem por conta de investimentos no setor. Saiba tudo!

O investimento em energias renováveis e limpas está criando muitos empregos no Reino Unido. Agora é a região Nordeste e Yorkshire que irão se beneficiar com um aumento de caixa para a produção eólica britânica. Desse modo, mais de 1.000 novos empregos devem ser criados em Humber e na região Nordeste do Reino Unido, com mais de £180 milhões de investimento do setor privado.


Vagas Inglaterra energia eólica: setor está recrutando

Segundo um comunicado de imprensa divulgado pelo governo britânico, o aumento no fluxo de caixa para a produção eólica na Inglaterra vai possibilitar a criação de mais de 1.000 novos empregos em Humber e na região nordeste da ilha.

O aporte financeiro vai ajudar a revitalizar centros industriais enquanto o Reino Unido país se torna mais verde ao apostar na produção eólica. São mais de £ 180 milhões de investimentos do setor privado que irão impulsionar os fabricantes de energia eólica a construir a próxima geração de turbinas eólicas.

Com a reforma no esquema de leilão de energia renovável do governo para incentivar ainda mais a produção, é natural haver uma expansão na capacidade industrial e uma melhora na competitividade. Além do próprio investimento privado, os fabricantes de energia eólica SeAH Wind Ltd e Smulders Projects UK receberão cada uma um financiamento do esquema de Apoio ao Investimento na Fabricação de Eólica Offshore (Offshore Wind Manufacturing Investment Support) de £ 160 milhões.

Os valores foram anunciados pelo Primeiro Ministro britânico em 2020 e fazem parte de seu Plano de Dez Pontos (Ten Point Plan) para construir fábricas que desenvolverão componentes para turbinas eólicas de última geração.

Você viu? Existem mais de 1 milhão de vagas disponíveis no Reino Unido e país sofre com escassez de talentos.

Vagas na Inglaterra na região nordeste

Localizados em Humber e em Wallsend em Newcastle-upon-Tyne, os dois fabricantes aumentarão substancialmente a base de manufatura eólica do Reino Unido nos centros industriais. Dessa maneira, as companhias fornecerão componentes essenciais para parques eólicos em todo o Reino Unido, assim como para exportação.

O Offshore Wind Manufacturing Investment Support é projetado para apoiar a entrega de investimento na fabricação na cadeia de abastecimento eólica e fornece subsídios para grandes investimentos na fabricação de componentes eólicos estrategicamente importantes, de pás de turbinas a cabos marítimos.

A SeAH Wind Ltd receberá financiamento para uma nova fábrica de fundação monopilha de £ 117 milhões no Able Marine Energy Park em Humber, criando até 750 vagas Inglaterra energia eólica até 2030. Já a Smulders Projects UK receberá financiamento para um investimento de £ 70 milhões em novos equipamentos e infraestrutura. Permitindo desse modo, a fabricação de peças de transição para turbinas eólicas em sua fábrica Wallsend, Newcastle, criando e salvaguardando até 325 empregos na Inglaterra.

Leia também: multinacional de contabilidade vai criar 650 ofertas de emprego no Reino Unido.

Empresários e autoridades políticas empolgadas com a notícia

O Secretário de Negócios e Energia do Reino Unido, Kwasi Kwarteng, afirmou que o vento é um dos maiores ativos naturais do Reino Unido e que o país é um dos líderes mundiais em energia eólica. Desse modo, com a maior capacidade instalada para a produção de energia eólica do mundo, o país está determinado a crescer e cultivar uma forte base de manufatura de classe mundial.

O político acredita que o investimento é importante para que as empresas britânicas e a força de trabalho possam aproveitar plenamente os benefícios econômicos que uma nação insular e muito ventosa possuem.

Conheça os trabalhos remotos que mais estão contratando em 2021.

Setor industrial da Inglaterra

Para Kwasi Kwarteng, os investimentos anunciados não só colocarão o vento nas velas do centro industrial do Reino Unido, criando e apoiando milhares de empregos de boa qualidade, mas também beneficiarão todo o Reino Unido. Pois para o secretário, conforme a economia britânica cresce e permite que mais fábricas sejam construídas no país. Desse modo, maior será a capacidade para atrair investimento interno e aumentar as oportunidades de exportação.

O Reino Unido está bem estabelecido como tendo a maior capacidade eólica de qualquer país do planeta. Esses investimentos destacam como estamos construindo uma base de manufatura que reflete nossa posição como líder mundial nesta tecnologia-chave. Além da atratividade do setor de energia limpa do Reino Unido para investidores internacionais.

Gerry Grimstone — Ministro de Investimento

Ainda para o ministro britânico “os trabalhadores do Reino Unido construirão a próxima geração de turbinas eólicas que não apenas nos ajudarão a cumprir os próprios compromissos com as mudanças climáticas, mas também serão exportados e poderão fornecer energia a países de todo o mundo em um futuro mais limpo e verde.”

Para ele o anúncio é um grande salto na entrega do Plano de 10 Pontos do Primeiro Ministro para uma revolução industrial verde. E no cumprimento de sua meta de quadruplicar a capacidade eólica do Reino Unido para produzir 40 GW de energia eólica até 2030. Isso será o suficiente para abastecer todas as residências do país.

“Isso continua a estabelecer as bases para que as empresas e trabalhadores britânicos aproveitem ao máximo o crescente mercado no Reino Unido e internacionalmente, apoiem até 60.000 empregos na indústria e ajudem a eliminar a contribuição do Reino Unido para as emissões de carbono até 2050.”

Saiba como lidar com o medo da mudança profissional em tempos de crise.

*Ouça também o Podcast Partiu Morar Fora:

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação e Doutor em Estudos de Comunicação, é apaixonado por rock and roll e conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

blank

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *