Curiosidades sobre viagem de avião que você provavelmente desconhece

Viagem de avião
Foto: MaxMilhas.

Descubra curiosidades incríveis sobre viagem de avião desconhecidas pela maioria das pessoas.

O desconhecido causa medo e, talvez por isso, muitas pessoas tenham medo de viajar de avião. Além disso, o medo pode ser explicado também pelo fato de que não sabemos o trajeto e não vemos o “motorista”. No caso dos aviões, não conseguimos interagir com o piloto e isso nos deixa apreensivos.

Porém, hoje vamos falar sobre curiosidades sobre viagens de avião que você provavelmente desconhece. Vamos contar alguns detalhes que passam ao lado até de quem viaja com frequência e trazer respostas para perguntas que muitas vezes não são respondidas. Confira!


Curiosidades sobre viagem de avião que você provavelmente desconhece

Abaixo listamos algumas curiosidades sobre viagem de avião que você provavelmente desconhece. Confira:

1) Bagagens perdidas

Se você já viajou de avião ou passou por um grande aeroporto, deve imaginar quantas malas, sacos e bagagens em geral são despachadas. Porém, o que quase nunca pensamos é na quantidade de bagagens que se perdem pelo caminho, que viajam para outro destino e que nunca são reclamadas. Ok, mas e o que acontece com as bagagens perdidas?

É sabido que grande parte das bagagens perdidas são recuperadas, porém outras nunca são encontradas e o passageiro é indenizado pela companhia aérea. Porém, muitas bagagens não são reclamadas e o proprietário nunca aparece.

Então, as companhias aéreas no Brasil, por exemplo, doam os pertences para instituições de caridade e nos Estados Unidos e países europeus as malas são leiloadas.

Conheça as melhores companhias aéreas do mundo.

2) Curiosidades sobre viagem de avião: pernas e pés inchados em voos longos

É comum que em voos com mais de duas horas de duração, os pés, pernas e tornozelos inchem. Isso ocorre por conta da mudança de pressão do ar, mas também por conta de uma menor hidratação. Se você é daquelas pessoas que fica sentada durante todo o voo, saiba que se movimentar e dar uma “passeada” no avião pode fazer bem.

Contudo, é importante ter em conta que em viagens longas utilizar roupas e calçados confortáveis é fundamental. Também é recomendado dar uma caminhada pelo avião, fazer movimentos com os pés, erguer as pernas e beber muita água. Por isso, não tenha receio de pedir água para os tripulantes e mantenha sua hidratação em dia.

Guia definitivo: como comprar passagens aéreas baratas.

3) Duração da viagem

Você sabia que é praticamente impossível saber a duração exata de uma viagem de avião? Pois é. O problema para conseguir um cálculo exato ocorre por conta das muitas variáveis como a distância, a altitude, o modelo do avião, a direção do vento e até o tráfego aéreo.

Ainda que existam softwares avançados que auxiliam no cálculo, as empresas aéreas sempre contam com a margem de erro e costumam colocar uns minutinhos a mais no resultado final.

Porém, uma mudança abrupta no tempo, um vento inesperado, um passageiro “perdido” e atrasado ou até mesmo uma manutenção de emergência podem mudar a duração da viagem de avião.

4) Pequenos triângulos nas janelas e cortinas abertas

Você que se considera uma pessoa observadora, já notou pequenos triângulos em algumas janelas do avião? Pois é, os símbolos (setas ou triângulos pretos ou vermelhos) servem para auxiliar a tripulação. As marquinhas indicam para a tripulação quais são os lugares com melhor visão das asas e dos motores.

Outra curiosidade sobre viagem de avião é que os tripulantes sempre pedem que as cortinas estejam abertas durante a decolagem e o pouso. Isso é um procedimento de segurança, pois em caso de emergência ou em condições climáticas adversas, fica mais fácil visualizar problemas no motor ou até ver se há neve acumulada nas asas.

Portanto, na sua próxima viagem veja se o seu assento está marcado com um dos símbolos. Se estiver, saiba que você está num lugar privilegiado da aeronave e, caso um dos comissários surja de maneira inesperada lhe oferecendo um copo de água, na verdade ele ou ela podem simplesmente estar checando alguma situação na parte de fora do avião.

Também pode te interessar: 10 dicas infalíveis para economizar em uma viagem.

5) Viagem de avião e as máscaras de oxigênio

Viajar de avião
Foto: Pinterest.

Em todos os voos, os tripulantes dão aquela aula sobre os procedimentos de emergência antes da decolagem. Pois é, eles falam que “em caso de uma inesperada perda de pressão da cabine, máscaras de oxigênio cairão automaticamente”. Porém, o que eles não contam é que a reserva de oxigênio nos aviões é de pouco tempo, coisa entre 12 e 15 minutos.

Entretanto não se assuste. Pois os poucos minutos são mais do que suficientes para que o piloto coloque o avião em uma atitude mais baixa e segura e, desse modo, o oxigênio deixa de ser necessário.

Confira também: 9 dicas para você fazer seu primeiro mochilão.

6) Emoção à flor da pele

Sim, nós ficamos mais emotivos durante uma viagem de avião. A ansiedade da viagem é capaz de ativar áreas do nosso cérebro que são responsáveis pelas emoções. Pesquisa mostram que, mesmo sem notar, a ansiedade da viagem faz aumentar a nossa sensibilidade e com isso ficamos mais suscetíveis a choros ou gargalhadas dentro do avião.

O que não sabemos é se isso é capaz de explicar os passageiros mais exaltados, mas pelo menos já podemos compreender melhor as vezes que choramos assistindo um filme nem tão emocionante num voo ou até mesmo revendo fotos e vídeos no celular enquanto lembramos de coisas boas e tristes.

De mãe para mãe: veja 10 dicas para viajar de avião com bebê.

Viajar é bom, mas voltar para casa é ainda melhor

Agora que você já sabe algumas curiosidades sobre viagem de avião, conta aí qual a próxima viagem que você está planejando depois da pandemia? Além disso, não vejo a hora de poder dizer que viajar é bom, mas voltar para casa é ainda melhor.

Veja 5 lugares para visitar pós-pandemia do Covid-19.

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação, faz Doutorado em Estudos de Comunicação. Apaixonado por rock and roll, conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *