Oktoberfest de Munique cancelada pelo segundo ano na Alemanha

Oktoberfest de Munique cancelada
Foto: Travel Earth.

A Oktoberfest de Munique está oficialmente cancelada, mais uma vez. Saiba tudo sobre a decisão da organização!

Autoridades da Bavária, estado alemão onde fica a cidade de Munique, cancelaram no dia de hoje, 3 de maio de 2021, as festividades da Oktoberfest de Munique pelo segundo ano consecutivo. A informação, adiantada pela Associated Press (AP), dá conta de que o receio das autoridades alemãs é com a disseminação do coronavírus, dizendo que há muitos riscos em festejar a Oktoberfest, que tradicionalmente trazem visitantes do mundo todo, durante uma pandemia global.


Oktoberfest de Munique cancelada

O governador da Bavária, Markus Soeder, disse que foi com o “coração pesado” que eles decidiram cancelar a Oktoberfest de Munique, festa pelo qual o estado é conhecido globalmente. Mas que com os números do coronavírus ainda teimosamente altos e os hospitais cheios, isso tinha que ser feito.

“A Oktoberfest será realizada novamente e será grande de novo”, prometeu. A Alemanha está atualmente no meio de um lockdown que inclui a proibição de grandes aglomerações, com uma taxa de infecção de 146,9 novas infecções semanais por 100.000 habitantes.

Cronologia da reabertura das fronteiras da União Europeia: veja o que já está aberto.

Baviera com números menores em relação a outros estados alemães

A Baviera está ligeiramente abaixo da média nacional, com 145,4 novas infecções semanais por 100.000, de acordo com o centro de controle de doenças do país, o Instituto Robert Koch. Porém, como a Oktoberfest de Munique normalmente atrai cerca de seis milhões de visitantes de todo o mundo e estava agendada de 18 de setembro a 3 de outubro, isso aumentou as preocupações das autoridades políticas alemãs.

A combinação de grandes barracas cheias de pessoas e o consumo de grandes quantidades de álcool, bem como a possibilidade de variedades mutantes do vírus serem trazidas do exterior, teriam tornado particularmente perigoso prosseguir com o festival, disse Soeder.

Oktoberfest de Munique cancelada pelo segundo ano consecutivo

Depois que a Oktoberfest foi cancelada em 2020, cerca de 50 cervejarias e outros estabelecimentos da cidade do sul da Alemanha sediaram festas menores sob diretrizes rígidas, e o prefeito Dieter Reiter disse que a esperança é que novamente seja possível ter cervejarias ao ar livre e pátios abertos com certas restrições.

Por mais difícil que seja a decisão de cancelar a Oktoberfest de Munique, teria sido pior se a cidade tivesse esperado muito e tivesse que cancelá-la após os preparativos já estarem em andamento, disse ele. “Para mim, pessoalmente, não foi uma decisão fácil porque é uma grande data no calendário do prefeito”, disse ele. “Muito mais importante, é uma grande vergonha para milhões de fãs em todo o mundo”.

As 6 companhias aéreas mais seguras para viajar durante a pandemia.

Alemanha em lockdown

De acordo com a legislação nacional de “freio de emergência” (emergency brake) aprovada em abril de 2021, são tomadas medidas que limitam os contatos pessoais. Além disso, o lockdown nacional na Alemanha determina o fechamento de instalações de lazer e esportivas. E, também ordenam o fechamento ou a restrição do acesso a muitas lojas são aplicadas em áreas onde há mais de 100 novos casos semanais por 100.000 residentes por três dias consecutivos.

Sem contar que as restrições também incluem toque de recolher das 22h às 5h, ou seja, o cancelamento da Oktoberfest de Munique hoje se justifica como afirma a AP. Entretanto, é interessante perceber e analisar o caminho contrário aos percursos de desconfinamento que outros países europeus estão tomando atualmente.

Conheça as sete novas linhas de trens noturnos na Europa até 2024.

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação e Doutor em Estudos de Comunicação, é apaixonado por rock and roll e conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *