Máscaras ao ar livre obrigatórias em Portugal

Mascara na rua Portugal
Foto: Executive Digest – Sapo.

Presidente da República promulgou um decreto que determina o uso de máscaras ao ar livre obrigatórias em Portugal. Saiba mais!

O Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou hoje, 27 de outubro, o decreto da Assembleia da República que tornam o uso de máscaras ao ar livre obrigatórias em Portugal. O decreto valerá por pelo menos 70 dias e deverá ser obedecida sempre que não seja possível cumprir o distanciamento físico recomendado de dois metros.


Máscaras ao ar livre obrigatórias em Portugal

O aumento no número de casos serve como justificativa e ajudaram a tornar o uso de máscaras ao ar livre obrigatórias em Portugal. O país europeu contabiliza 2.343 mortos por COVID-19 e 121.133 casos confirmados segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

A Lei n.º 62-A/2020, publicada no Diário da República hoje, faz com que a regra passe a valer a partir de amanhã, 28 de outubro de 2020. O artigo primeiro da lei diz que “a presente lei determina, a título excecional, a obrigatoriedade do uso de máscara para o acesso, circulação ou permanência nos espaços e vias públicas“.

Além disso, é possível ler que “é obrigatório o uso de máscara por pessoas com idade a partir dos 10 anos para o acesso, circulação ou permanência nos espaços e vias públicas sempre que o distanciamento físico recomendado pelas autoridades de saúde se mostre impraticável”. A lei deve entrar em vigor no dia seguinte ao de sua publicação.

Veja também: Vaga na Embaixada do Brasil em Lisboa com salário de € 2.125.

Multas previstas para quem não cumprir a lei

O não cumprimento da obrigatoriedade do uso de máscaras em via pública em Portugal poderá ser punida com multas que vão dos € 100 (cem euros) aos € 500 (quinhentos euros). Porém, existem algumas exceções na lei para, por exemplo, “pessoas que integrem o mesmo agregado familiar (mesma família), quando não se encontrem na proximidade de terceiros”, ou que apresentem declaração médica que justifique o não uso da máscara.

A ideia de tornar as máscaras ao ar livre obrigatórias em Portugal partiu do Governo. Porém, outra medida que estava contemplada na lei foi abandonada por enquanto, que era a utilização obrigatória do aplicativo Stayaway Covid nos smartphones. Nós escrevemos uma matéria sobre o assunto.

Leia também: Países que brasileiros podem viajar.

Alterações na Lei

Alem da retirada da obrigatoriedade do uso do aplicativo nos smartphones, com o intuito de agilizar a aprovação do uso de máscaras ao ar livre obrigatórias em Portugal, o PSD apresentou um projeto de lei apenas com essa medida. Desse modo, o Governo retirou da agenda sua proposta no parlamento português.

Contudo, a votação da lei só foi possível por conta de alterações feitas no projeto. Uma das medidas é que a lei que obriga o uso de máscaras na rua em Portugal só valerá por, inicialmente, 70 dias ao invés de 90 da proposta inicial.

Você viu? Emirates lança embarque biométrico e sem contato humano.

Exceções à lei

Em relação às exceções na lei que tornam máscaras ao ar livre obrigatórias em Portugal estão:

  • a) Mediante a apresentação:
  • i) De atestado médico de incapacidade multiúsos ou de declaração médica, no caso de se tratar de pessoas com deficiência cognitiva, do desenvolvimento e perturbações psíquicas;
  • ii) De declaração médica que ateste que a condição clínica da pessoa não se coaduna com o uso de máscaras;
  • b) Quando o uso de máscara seja incompatível com a natureza das atividades que as pessoas se encontrem a realizar;
  • c) Em relação a pessoas que integrem o mesmo agregado familiar, quando não se encontrem na proximidade de terceiros.

Pandemia: novo lockdown na Irlanda, é o primeiro país europeu a fechar.

Protestos contra a lei

No sábado (24 de outubro), dezenas de pessoas fizeram um protesto no Rossio, em Lisboa, contra a lei que torna as máscaras ao ar livre obrigatórias em Portugal. O desacordo ocorreu apenas um dia depois da aprovação da lei pelo Parlamento de Portugal. Um dos organizadores disse que o protesto se deu porque as máscaras não são eficazes para conter o coronavírus e também privam a liberdade das pessoas.

Também pode te interessar: Alta velocidade: nova linha de trem em Portugal permitirá viagem entre Lisboa e Porto em 1h15.

Amanda Corrêa

Amanda Corrêa é jornalista brasileira e mora no exterior há 6 anos. Possui Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho (Braga, Portugal). Morou na Inglaterra e atualmente reside em Portugal. Atua há 15 anos na área de Jornalismo, produção de conteúdos, mídias sociais. Com seus textos, ajuda brasileiros e estrangeiros a morarem fora do país e realizarem seus sonhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *