Pandemia: novo lockdown na Irlanda, é o primeiro país europeu a fechar

Novo lockdown Irlanda
Foto: France 24.

Novo lockdown na Irlanda, ordem entrou em vigor na última quarta-feira, 21 de outubro.

Com o aumento dos casos de coronavírus na Europa, governo da Irlanda impôs lockdown e se tornou o primeiro país europeu a reinstituir uma paralisação nacional. A ordem do governo irlandês entrou em vigor na quarta-feira à meia-noite e exige o fechamento de todos os negócios não essenciais na Irlanda.


Novo lockdown na Irlanda por causa do aumento nos casos de COVID-19

O governo irlandês impôs um novo lockdown na Irlanda e, desse modo, bares e restaurantes estão limitados a take away (pegar e levar) e delivery (entregas). Os cidadãos residentes estão sendo solicitados a ficarem próximos de casa e no máximo de três milhas de distância (menos de cinco quilômetros), a não ser que sejam trabalhadores essenciais e que estejam no trajeto indo para o trabalho.

Para o vice-primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varadkar, durante uma entrevista coletiva disse que a ação de paralisar o país novamente serve como um “ataque preventivo contra o vírus”.

De acordo com o Departamento da Saúde da Irlanda, o país tem 51 mil novos casos confirmados de coronavírus e mais de 1.850 mortes desde o começo de setembro, um aumento de 75%.

Fim do Visto Gold? Parlamento Europeu quer acabar com o programa.

Lockdown e restrições

Como o governo da Irlanda impôs lockdown, as escolas e creches do país podem permanecer abertas, mas visitas a residências particulares não são permitidas. O primeiro-ministro da Irlanda, Micheál Martin, disse ao anunciar as novas restrições: “Se trabalharmos juntos nas próximas seis semanas, teremos a oportunidade de celebrar o Natal de uma forma significativa”.

Postos de controle estão sendo instituídos nas estradas pela polícia irlandesa e visam impedir viagens rodoviárias e outras viagens não essenciais. Em relação às multas e possíveis penalidades as regras não estão claras.

Pesquisa: 54% dos europeus planejam viajar dentro da União Europeia nos próximos 6 meses.

Governo da Irlanda impôs lockdown – desemprego e crise econômica

As novas restrições devem vigorar até o dia 1º de dezembro de 2020. Contudo, como o governo da Irlanda impôs lockdown, a economia do país será muito afetada. O vice-primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varadkar, afirmou que aproximadamente 150 mil pessoas irão perder seus empregos.

Porém, o governo irlandês está prometendo um aumento de assistência ao desemprego causado pela pandemia. Além da liberação de mais subsídios para ajudar as pessoas que estão sem trabalho. Vale a pena relembrar que há apenas duas semanas, as autoridades políticas do país tinham rejeitado a ideia de um novo lockdown na Irlanda.

Leia também: COVID-19: fechamento da fronteira entre Canadá e Estados Unidos prorrogado.

Natal ameaçado

Se o governo da Irlanda e seus cidadãos não conseguirem controlar a pandemia de COVID-19, o Natal de 2020 deverá ser muito alegre no país. Com o aumento das infecções, o governo da Irlanda impôs lockdown severo e as as restrições estão entre as mais duras de toda a Europa.

A Irlanda não vem tendo sucesso em frear a disseminação do COVID-19 nas últimas semanas, embora tenha aumentado lentamente as restrições às interações sociais e comerciais.

A taxa de infecção ficou em 279 casos por 100 mil pessoas nas duas primeiras semanas de outubro, em comparação com 96 por 100 mil no período até 30 de setembro. Com uma população de cerca de 5 milhões de habitantes, a Irlanda registrou 1.865 mortes relacionadas ao COVID-19.

Migração global: OCDE diz que pandemia traz graves consequências aos fluxos migratórios.

Ouça também o nosso Podcast Partiu Morar Fora:

Amanda Corrêa

Amanda Corrêa é jornalista brasileira e mora no exterior há 6 anos. Possui Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho (Braga, Portugal). Morou na Inglaterra e atualmente reside em Portugal. Atua há 15 anos na área de Jornalismo, produção de conteúdos, mídias sociais. Com seus textos, ajuda brasileiros e estrangeiros a morarem fora do país e realizarem seus sonhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *