COVID-19: fechamento da fronteira entre Canadá e Estados Unidos prorrogado

Fronteira Canada e Estados Unidos
Crédito foto: CNN

É a sétima vez que o governo prorroga o fechamento da fronteira entre Canadá e Estados Unidos.

O Governo do Canadá prorrogou as restrições de viagem por mais um mês. Desse modo, os viajantes provenientes dos Estados Unidos só poderão entrar no Canadá por razões essenciais.


Fechamento da fronteira prorrogado

Através do Twitter, o primeiro-ministro canadense Justin Trudeau confirmou que a fronteira entre o Canadá e os Estados Unidos vai permanecer fechada, pelo menos, até o dia 21 de novembro de 2020. É a sétima vez que o fechamento da fronteira é prorrogado para os viajantes não essenciais.

Tweet do primeiro-ministro Justin Trudeau:

Trabalhar no Canadá: visitantes podem solicitar autorização sem ter que sair do país.

Definição de viajantes essenciais e não essenciais

Para o Governo do Canadá, as pessoas dos Estados Unidos que quiserem entrar no país para turismo, compras ou em busca de entretenimento são considerados viajantes não essenciais. Dessa maneira, estas pessoas terão sua entrada barrada na fronteira entre os dois países.

São considerados viajantes essenciais os caminhoneiros que transportar bens e mercadorias essenciais, pessoas que cruzam a fronteira para a realização de trabalhos essenciais, bem como as viagens com remessas comerciais por meio de ferrovias.

Veja também: Recuperação econômica no Canadá: mais imigrantes empregados em setembro.

Cidadãos canadenses e residentes permanentes nos Estados Unidos

Para os cidadãos canadenses e os que são residentes permanentes nos Estados Unidos e seus familiares próximos, a fronteira não estará fechada. Contudo, são considerados familiares próximos os membros da família imediata que são: cônjuges, companheiros de união estável, filhos, pais ou padrastos, mães e madrastas, tutores legais e tutores.

Importante lembrar que no começo do mês de outubro, o Canadá diminuiu as restrições de viagem de parentes, estudantes e pessoas que viajavam para o Canadá por motivos de compaixão. Os familiares próximos não precisam de um motivo essencial para viajar para o Canadá, mas devem permanecer no país por pelo menos 15 dias.

Veja também: Como trabalhar no Canadá, formas de visto e salários.

Motivos de Compaixão

Para o governo canadense, os motivos de compaixão são considerados suficientes para que as pessoas possam entrar no Canadá. São considerados motivos de compaixão as viagens para a participação em um funeral, para estarem presentes durante os últimos momentos da vida de um ente querido ou para fornecer suporte médico.

Você viu? Sem inglês, sem visto: visto para a Austrália será bloqueado para parceiros que não falem inglês.

Estudantes liberados a partir de 20 de outubro e quarentena

Os estudantes e alunos que estão matriculados em Instituições de Aprendizagem Designadas poderão começar a entrar no Canadá a partir do dia 20 de outubro. Porém, o governo ressalta que as instituições de ensino precisam ter planos de contingência e preparação para conter o coronavírus.

Além disso, todos os viajantes devem ficar em quarentena por 14 dias ao entrar no Canadá. Porém, as pessoas precisam chegar à fronteira com um plano de quarentena adequado. Contudo, para os viajantes que vão para o Canadá por motivos de compaixão, é possível obter liberação limitada do período de quarentena obrigatório.

Veja também: Cidadania britânica mais difícil para os cidadãos da União Europeia.

Fechamento da fronteira

O primeiro-ministro Justin Trudeau disse na semana passada que a fronteira permanecerá fechada até que os números do coronavírus diminuam nos Estados Unidos. A fala do político ocorreu enquanto participava de um programa de rádio na Global News, o “The Start”.

“Temos o compromisso de manter os canadenses seguros e continuamos estendendo o fechamento da fronteira porque os Estados Unidos não estão em um lugar onde nos sentiríamos confortáveis ​​em reabrir essas fronteiras”.

Primeiro-ministro Justin Trudeau

Importante dizer que os Estados Unidos lideram o ranking com o maior número total de casos de COVID-19 no mundo. São mais de 8 milhões de infectados no país, enquanto que o Canadá registrou apenas 200 mil casos do novo coronavírus.

Amanda Corrêa

Amanda Corrêa é jornalista brasileira e mora no exterior há 6 anos. Possui Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho (Braga, Portugal). Morou na Inglaterra e atualmente reside em Portugal. Atua há 15 anos na área de Jornalismo, produção de conteúdos, mídias sociais. Com seus textos, ajuda brasileiros e estrangeiros a morarem fora do país e realizarem seus sonhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *