Empregos em Turismo em Portugal: Quase 50.000 Vagas por preencher

empregos em turismo em Portugal
Foto: ParkWest General Contractors.

Milhares de empregos em Turismo em Portugal devem ficar por preencher segundo o World Travel and Tourism. Saiba mais!

Com a volta das viagens internacionais, quase 50.000 empregos em Turismo em Portugal e viagens podem ficar por preencher, afirma o WTTC (World Travel and Tourism). A associação fez uma nova análise que revelou que milhares de empregos em Portugal não serão preenchidos na área do turismo por falta de mão de obra. Saiba mais sobre o relatório.


Empregos em Turismo em Portugal

Além de apontar a falta de profissionais para o setor, a WTTC sugere medidas que podem ajudar o setor a superar e lidar com a escassez de pessoal. Em uma nova análise da escassez de pessoal feita pelo World Travel & Tourism Council (WTTC) revelou um déficit de mão de obra em Portugal, com cerca de 50.000 empregos de Viagens e Turismo em todo o país previstos para serem preenchidos.

A pesquisa analisou a escassez de mão de obra em Portugal e em outros grandes destinos de Viagens e Turismo, como Estados Unidos, França, Espanha, Reino Unido e Itália. A informação foi publicada em um comunicado de imprensa que diz que os dados mostram que Portugal deverá ver um déficit de 49.000 trabalhadores no terceiro trimestre de 2022, prevendo-se que uma em cada 10 vagas permaneça por preencher este ano, tornando-se o país menos afetado dos locais analisados.

JMJ Lisboa 2023: falta um ano para a visita do Papa Francisco a Portugal.

Pandemia e Turismo

Antes da pandemia, em 2019, mais de 485.000 pessoas estavam empregadas em Viagens & Turismo em Portugal. Mas em 2020 o país europeu viu a perda de mais de 80.000 empregos diretos no setor. Portugal viu o início da recuperação em 2021, com um crescimento de 32,6% da participação do setor para a economia nacional. No entanto, a escassez de pessoal tem prevalecido no país, com milhares de vagas não preenchidas, colocando o setor sob pressão.

A análise do WTTC mostra que a indústria hoteleira de Portugal deverá ser a mais afetada, uma vez que os segmentos de hotelaria e alimentação e bebidas deverão ter 13% (uma em cada oito) e 12% (uma em cada oito) das vagas por preencher, respetivamente.

Julia Simpson, Presidente e CEO do WTTC disse: “O governo português sempre colocou as Viagens e Turismo na vanguarda da sua agenda e já está a abordar esta questão com medidas estratégicas. O Ministério do Turismo em Portugal é muito proativo e introduziu uma política de vistos flexível para atrair talentos. Eles estão fazendo um bom trabalho”. Há poucos dias, o WTTC revelou que até 1,2 milhão de empregos em viagens e turismo em toda a União Europeia permanecerão sem funcionários.

Você viu? Inaugurada primeira piscina de água do mar aquecida em Portugal.

Sugestões para Amenizar a Falta de Pessoal

Algumas das principais medidas identificadas no relatório do WTTC, tanto para governos quanto para o setor privado, e que podem ajudar a lidar com a lacuna e falta de pessoal são:

  1. Facilitar a mobilidade da mão de obra além das fronteiras internacionais, com políticas de vistos mais favoráveis;
  2. Permitir trabalho flexível e remoto sempre que possível – permitindo oportunidades de meio período ou terceirizadas;
  3. Assegurar trabalho decente e benefícios competitivos aos funcionários e pacotes de remuneração;
  4. Atrair talentos melhorando a percepção de empregos e promover planos de carreira viáveis ​​com oportunidades de crescimento;
  5. Desenvolver e apoiar uma força de trabalho qualificada por meio de programas educacionais abrangentes, bem como capacitar e requalificar talentos atuais;
  6. Adotar soluções tecnológicas e digitais inovadoras para aliviar a pressão sobre a equipe, melhorar as operações diárias e melhorar a experiência do cliente.

Melhores praias do Algarve para visitar: veja um roteiro por Portugal.

Empregos em Turismo em Portugal

O WTTC é um órgão global dedicado ao turismo e acredita que, ao implementar essas medidas, as empresas de viagens e turismo poderão atrair mais trabalhadores em Portugal. Isso, por sua vez, permitiria ao setor atender à crescente demanda do consumidor e acelerar ainda mais sua recuperação, que é a espinha dorsal da geração de bem-estar econômico em todo o país europeu.

Leia também: como trabalhar em Portugal e o que é preciso para o visto.

*Conheça também o nosso canal do Youtube e inscreva-se:

Amanda Corrêa

Amanda Corrêa é uma jornalista brasileira que mora no exterior há 8 anos. Possui Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho (Braga, Portugal). Morou na Inglaterra e atualmente reside em Portugal. Atua na área de Jornalismo, produção de conteúdos e mídias sociais. Com seu trabalho, ajuda brasileiros e estrangeiros a morarem fora do país e realizarem seus sonhos!

blank

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *