Como atravessar o Eurotúnel de carro

Eurotunel
Foto: The Independent

Viajar pela Europa de carro tem sido uma experiência bastante interessante. Desde 2014, quando me mudei para Portugal, já tive a oportunidade de fazer alguns quilômetros pelas estradas europeias e em cada viagem sempre fica um gostinho de quero mais. Hoje vou falar sobre como atravessar de carro pelo Eurotúnel e tentar tirar algumas dúvidas e desconstruir alguns mitos. Vamos lá?

Sobre o Eurotúnel

O Eurotúnel (Eurotunnel) é, na minha opinião, uma das obras mais fantásticas do mundo moderno. E digo isso sabe por quê? Porque os caras simplesmente construíram um túnel debaixo do mar para ligar a França e a Inglaterra. É ou não é uma coisa de filme?

Pois é. O Eurotúnel foi inaugurado em 1994 e faz a ligação entre a França e a Inglaterra. Por ele passam milhões de passageiros todos os anos e existem trens de passageiros, de carga e que levam veículos (Le Shuttle) que foi o que eu utilizei.





Preço do Eurotúnel

Os valores variam muito e dependem do dia da viagem, se será de ida e volta e etc. Em média uma travessia custa entre € 80,00 a € 150,00 euros. Mas a melhor coisa a fazer é acessar o site do Eurotunnel e verificar o preço na data desejada. Você deve sempre comprar pela internet com antecedência, porque fica bem mais barato.

Viajar de carro pela Europa

De maneira geral as estradas da Europa são muito boas, especialmente as autoestradas pedagiadas. O valor para quem as utiliza é alto, mas a recompensa vem quando você roda centenas de quilômetros de maneira segura e tranquila. Na minha última aventura, pude dirigir (muito) de Portugal até a Inglaterra e quero contar mais para vocês como foi.

Estradas em Portugal

Portugal é um país pequeno, especialmente quando comparado com o Brasil em termos geográficos. Então, se você quiser sair de Portugal de carro, você não precisará rodar muito para chegar na Espanha. As autoestradas são muito bem sinalizadas e contam com um asfalto perfeito, porém o preço dos pedágios assusta um pouco.

Eu, apesar de odiar pagar pedágio (óbvio), prefiro as autoestradas. Como o limite de velocidade é de 120 km/h, a viagem rende mais e os perigos são menores. Nas estradas nacionais, por exemplo, o limite é de 70 km/h e você passa por dentro de vilas e cidades, portanto os riscos de acidente são maiores e a viagem demora uma eternidade.

Leia também: tudo que você precisa saber para dirigir em Portugal.

Via Verde (Sem Parar)

Se você pretende alugar ou comprar um carro em Portugal, lembre-se de instalar o Via Verde. É aquele dispositivo que colocamos no vidro da frente do carro e passamos pelo pedágio “sem parar”. Eu acho que vale muito a pena ter o aparelho e digo isso porque logo quando cheguei em Portugal eu aluguei um carro e não me explicaram sobre os SCOUTs.

Existem diversos SCOUTs em Portugal que são, basicamente, um pedágio eletrônico. Você vem na estrada e passa debaixo da trave onde tem câmeras e sensores que fotografam o seu carro. Caso você tenha o Via Verde, o aparelhinho irá fazer um “bip” e a cobrança será feita diretamente na sua conta. Porém (como ocorreu comigo na chegada), se você não tiver o aparelho, você precisa procurar um PayShop (tipo casa lotérica) para fazer o pagamento.

grupo-novo-facebook

Chegando ao PayShop, você precisa informar a placa do seu carro e eles irão lhe dizer o valor que deve ser pago. O resumo da ópera foi: eu não fui ao PayShop dentro do prazo estipulado porque eu nem imaginava que isso existia. Aconteceu que pedágios eletrônicos de centavos se tornaram multas caríssimas (coisa de € 0,50 virar € 65,00) e eu tomei uma ré alta.

Portanto, Via Verde é uma baita opção. Até porque você não precisa pagar aluguel mensal (€ 7,00 por ano) e paga somente o que utilizar. Eu recomendo mil vezes!

Descubra a melhor época para visitar Portugal.

Estradas da Espanha

Saindo de Portugal e entrando na Espanha você só vê uma placa na estrada informando que você está em outro país. As estradas continuam sendo excelentes e muitas delas são até triplicadas. A vantagem de dirigir na Espanha é que o combustível é bem mais barato que em Portugal e quase não existem pedágios.

Eu vivo no norte de Portugal e como estava subindo para a Inglaterra, fiz mais ou menos 500 quilômetros na Espanha. Para esse trecho paguei € 15,00 (quinze euros) de pedágio já quase na saída do país próximo de San Sebastián. Ou seja, você roda muito e paga pouco, bem diferente de Portugal.

Saiba como alugar carro na Europa.

Estradas na França

Entrando na França também não existe fronteira e uma placa informa que você está em outro país. Ah, claro, o idioma da sinalização muda (de português para espanhol e de espanhol para francês), mas quero dizer que não existem burocracias. É acelerar e seguir em frente.

As estradas francesas também são muito boas, porém os pedágios estão por toda a parte. Eu rodei 1.000 quilômetros na França e cruzei o país do sul para o norte e foi muito tranquilo, apesar de cansativo.

Abordagem policial no caminho

Em Portugal e na Espanha não fui abordado pela polícia, mas na França fui. Foi logo no segundo pedágio depois da fronteira com a Espanha, era tarde da noite (quase de madrugada). Eu passei o pedágio e a polícia francesa estava fazendo uma blitze. A policial fez sinal que eu parasse e, obviamente, obedeci. Ela me cumprimentou em francês e começou a fazer algumas perguntas em francês.

Eu pedi desculpas e disse que não falava francês e perguntei se ela podia falar comigo em inglês. A oficial, super educada, mudou o idioma e perguntou de onde eu vinha, para onde estava indo e quais eram os motivos da viagem. Eu expliquei e enquanto ela me ouvia, apontava a lanterna para dentro do carro. Tudo certo. Não me pediu documentos e desejou que eu tivesse uma boa viagem.

Como atravessar de carro pelo Eurotúnel

Depois de rodar 1.000 quilômetros em território francês, cheguei na cidade de Calais. Na verdade nem entrei na cidade, porque o Eurotúnel fica fora dela. A autoestrada leva diretamente para o complexo onde estão os trens que atravessam o Canal da Mancha da França para a Inglaterra.

Veja também uma lista de alimentos que devem ser evitados em viagem.

Viagem de carro com cachorro para a Inglaterra

Como escrevi em outro texto, eu estava viajando de Portugal para a Inglaterra com as minhas duas cachorrinhas. Portanto, logo na chegada ao Eurotúnel, você deve seguir a indicação de que está viajando com pet e se dirigir até a Pet Reception.

Você chega, estaciona o seu carro, pega o seu pet e se dirige até os atendentes. Ali eles vão solicitar o passaporte do animal e verificar se todas as exigências para a entrada no Reino Unido estão corretas.

O local é feito para os animais e pelo chão estão potinhos com água e a minha cachorrinha inclusive fez um xixizão e existe uma pessoa responsável pela limpeza. Super de boa.

Passaportes conferidos (pois eram duas), o atendente pede que você passe o scanner para a leitura do microchip no pet. Tudo certo, documentos e microchip conferidos, o atendente entrega um papel que deve ser colado no vidro do carro informando que aquele veículo leva pet. É só seguir viagem. Porém, eu preciso falar mais sobre a Pet Reception do Eurotúnel.

Pet Reception

Se você tem um animal de estimação, a coisa que você mais preza é que ele(a) seja bem tratado(a). Certo? Pois é, quando eu cheguei com as minhas cachorrinhas na Pet Reception do Eurotúnel eu fiquei impressionado com o atendimento e estrutura que eles disponibilizam para os bichinhos.

Veja as fotos e o vídeo e confira. Existem locais com grama artificial para os animais passearem e fazerem suas necessidades, os bebedouros estão por toda a parte com água fresca e os saquinhos para juntar cocô também estão disponíveis. É feito para os pets e para que eles se sintam tranquilos e descansados.

O embarque no Eurotúnel

Depois de sair da Pet Reception, você se dirige até os guichês de atendimento. No meu caso eu já tinha o voucher comprado e só precisei apresentar o código da reserva. A atendente então irá imprimir um cartão que deve ser colado no vidro da frente (em cima do dos pets) onde tem a sua identificação e a letra que deve seguir até o embarque.

Depois de apresentar o seu voucher e colar o adesivo no vidro do carro, chega a hora de passar nas fronteiras. Sim, porque você vai sair da França e entrar na Inglaterra e precisará apresentar os documentos. No meu caso, os oficiais de fronteira da França não me abordaram e mandaram seguir. Então, mais adiante, cheguei nos oficiais de fronteira da Inglaterra.

Eurotunnel
Foto: Cláudio Abdo

É tipo um enorme pedágio. Um atrás do outro. A policial inglesa pediu meu passaporte e fez algumas perguntas. Para onde eu estava indo, se já tinha lugar para ficar (casa alugada), quais eram os motivos para eu entrar no Reino Unido e por quanto tempo eu ficaria. Respondido, documentos conferidos, carimbo no passaporte e segui.

Depois disso, ainda dentro do complexo existe um shopping onde você pode fazer compras (Duty Free), comer, utilizar os banheiros e por toda a parte estão os espaços destinados aos animais com bebedouros e grama sintética (são cercadinhos). Tudo extremamente bem sinalizado e seguro. No estacionamento do shopping estão os placares com os horários dos trens, a plataforma de embarque e as letras. Muito simples e fácil!

Eu fiz alguns vídeos do embarque para que você tenha uma ideia de como é, mas adianto que não tem erro. É só seguir as indicações e obedecer os profissionais que estão por toda a parte organizando o embarque.

Entrar na Inglaterra de carro

Quando você sai do Eurotúnel, já do lado inglês, você não precisa mais parar e falar com ninguém. É seguir o fluxo e entrar na autoestrada. Claro que preciso lembrar de um detalhe muito importante (especialmente para o seu cérebro), é que você estará dirigindo na contramão, pois na Inglaterra o trânsito é mão inglesa (esquerda vai, direita vem).

As estradas são ótimas e os pedágios quase não existem, então é seguir viagem prestando atenção para não entrar na contramão na terra da Rainha. Por experiência própria digo que é muito mais fácil do que a gente imagina e o nosso cérebro acostuma rapidinho.

Conheça o fone de ouvido que traduz idiomas sem internet.

Uso do GPS

Claro que para rodar tantos quilômetros (de Portugal até a Inglaterra) é bom ter um GPS para auxiliar. Eu usei o Google Maps e o aplicativo Via Michelin no meu iPhone. Quando ficava com dúvida, olhava um e o outro. A vantagem do Google Maps é que ele é extremamente atualizado, mas o Via Michelin também. Porém, no Via Michelin a velocidade é indicada e isso ajuda a não ultrapassar os limites estabelecidos.

Em Portugal a velocidade nas autoestradas é de 120 km/h, assim como na Espanha. Na França a velocidade é de 130 km/h e na Inglaterra é de 70 mp/h. Sim, na Inglaterra você precisa ficar convertendo de milha para quilômetro (1 milha = 1,6 quilômetro) caso o seu carro esteja somente em km/h como o meu. Aí entra o aplicativo do Via Michelin, pois ele faz isso automaticamente e ajuda muito, inclusive indicando os radares e as velocidades permitidas naquele trecho da estrada.

Turismo: as melhores dicas para economizar em Londres.

Regras e leis de trânsito na Europa

Nas estradas da Europa você não encontra postos de polícia rodoviária como temos no Brasil. A maioria das autoestradas são fiscalizadas por câmeras de monitoramento e as polícias são acionadas quando algum motorista excede a velocidade permitida ou faz manobras perigosas.

Todos os radares e controladores de velocidade são muito bem sinalizados e não existem os “pardais” escondidos como no Brasil. A polícia, apesar de não estar de maneira ostensiva, está sempre alerta e aparece “do nada” quando algum motorista desrespeita as leis de trânsito.

A dica de ouro aqui é: respeite os limites de velocidade. Como eu disse, eu fui abordado pela polícia somente na França e não por excesso de velocidade ou por ter infringido alguma lei, era uma mera blitze. Então, se você vier dentro dos limites de velocidade não receberá multas ou terá problema com os agentes da lei.

Além disso outra dica é: jamais pare o seu carro em uma autoestrada por qualquer motivo que não seja uma pane mecânica. A polícia, junto com as concessionárias que controlam as estradas, é muito rigorosa na Europa em relação a parar no acostamento em autoestradas e multa mesmo, sem desculpa, o motorista que fizer isso.

Ah, e a multa precisa ser paga na hora em dinheiro ou cartão. Sem conversa e sem negociação ou o seu carro é guinchado e levado para o pátio.

Checklist viagem: uma lista completa para te ajudar.

Cuidados importantes

Respeitar os limites de velocidade é um dos principais cuidados e digo isso porque viajei muitas horas de noite / madrugada e a segurança não é uma questão a ser levada em consideração. Também é importante circular sempre pela faixa da direita (quando não é mão inglesa) e deixar a pista rápida vazia. Em Portugal a polícia está multando com muita frequência os motoristas que desrespeitam essa lei.

Fronteiras?

Nos países europeus do Espaço Schengen não existem, pelo menos por agora, fronteiras. Você passa de um país para o outro sem problema algum e, como eu disse antes, a única coisa que existe é uma placa avisando que você entrou no país.

Obviamente que levar o passaporte, a carteira de habilitação (carta de condução) e os documentos do veículos são imprescindíveis, incluindo a carta verde e o seguro obrigatório. É bom ter documentos a mais do que para menos para não ter problemas.

Dicas para viajar de carro na Europa

As estradas possuem paradas muito bem sinalizadas onde você encontra parques de estacionamento, banheiros e etc. Além disso, a cada 50 quilômetros (mais ou menos) você encontra postos de combustível com conveniência. É bom ter atenção porque para abastecer geralmente os postos são 24 horas, mas as lojas de conveniência fecham antes.

Eu, por garantia, evitava ficar com menos de meio tanque de gasolina no carro. Por não conhecer a estrada, sempre que eu rodava 300 quilômetros (mais ou menos) eu parava e reabastecia. Como estava com as minhas cachorrinhas, aproveitava para que elas esticassem as pernas, fizessem xixi, cocô e dessem uma voltinha.

Veja 10 dicas infalíveis para economizar em uma viagem.

Ter cartões (débito e crédito) são também uma garantia. Ah, e claro, algum dinheiro para pagar um ou outro pedágio mais barato ou que esteja com o sistema fora. Eu levei € 100,00 (cem euros) em dinheiro comigo para eventuais necessidades, mas não precisei utilizar muito o dinheiro vivo e usei muito o meu cartão de débito (que é de Portugal e vale nos outros países da Europa).

Bom, é isso. Espero que você tenha gostado das minhas dicas sobre dirigir de carro na Europa. Aproveito para dizer que você pode compartilhar ou comentar o texto que responderei (caso saiba) as questões sem problemas. Se você gosta de dirigir eu digo sem medo: pegar o carro e viajar pela Europa é uma delícia, uma experiência que eu jamais irei esquecer!

*Para alugar um carro na Europa, nós recomendamos o site Rentalcars, ele compara os preços de diversas locadoras e você consegue economizar bastante durante sua viagem de carro na Europa.



Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação, faz Doutorado em Estudos de Comunicação. Apaixonado por rock and roll, conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

Um comentário em “Como atravessar o Eurotúnel de carro

  • 9 de setembro de 2019 em 6:46 pm
    Permalink

    Amigo. Parabéns pelas dicas de viagem. Comunicação objetiva cheia de detalhes importantes. Muito agradecido pelo auxílio e suas dicas serão com certeza, observadas. Gd.abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *