Intel vai criar 1.600 vagas de emprego na Irlanda

vagas de emprego na Irlanda
Foto: Wikipedia.

Multinacional de tecnologia vai criar vagas de emprego na Irlanda e anuncia plano global de expansão. Saiba mais!

Funções de alta tecnologia serão criadas no campus Leixlip da Intel após a conclusão de uma expansão iniciada em 2019. A empresa também sinalizou um maior crescimento no país europeu e, desse modo, a companhia pretende contratar 1.600 novos colaboradores e vai criar centenas de vagas de emprego na Irlanda.


Vagas de emprego na Irlanda

Na noite de 23 de março de 2021, o CEO da Intel, Pat Gelsinger, anunciou a nova estratégia da multinacional para a fabricação de dispositivos integrados (integrated device manufacturing – IDM). Chamada de ‘IDM 2.0’, a estratégia do fabricante de chips de computador com sede nos Estados Unidos envolverá a combinação de sua rede de fábrica interna existente com capacidade de terceiros, bem como novos serviços de fundição da Intel.

O gerente geral da Intel Irlanda, Eamonn Sinnott, acrescentou informações ao anúncio do CEO da companhia e escreveu em um post que o modelo IDM 2.0 “abrirá o caminho para a Intel continuar a liderar na fabricação”. Sinnott revelou que o papel do país europeu neste plano ambicioso incluirá a criação de 1.600 vagas de emprego na Irlanda. São empregos para profissionais altamente qualificados e permanentes no campus da empresa em Leixlip, Co Kildare.

Emprego no Google: multinacional abrirá 10 mil novas vagas.

Expansão bilionária da Intel

As vagas de emprego na Irlanda e os novos postos de trabalho chegarão após a conclusão de uma expansão de US$ 7 bilhões nas instalações de Leixlip, que começou em 2019. Essa expansão, que deve ser concluída em 2021, mais do que dobrará o espaço de manufatura disponível da Intel na Irlanda e envolverá mais de 5 mil trabalhadores da construção.

“Este investimento foi projetado para trazer a tecnologia de processo de 7nm de última geração da Intel para a região e expandir nossas operações de fabricação. Além disso, haverá oportunidade adicional de investimentos na região. Conforme explicou Pat [Gelsinger], planejamos anunciar a próxima fase de expansões para apoiar nosso novo negócio de fundição nos Estados Unidos, Europa e outros locais globais dentro do ano”, afirmou Sinnott.

Veja mais: empresa de software americana criará 400 postos de trabalho na Irlanda.

Vagas na Intel

A Intel emprega mais de 10 mil pessoas em toda a Europa, com quase metade desses funcionários baseados na Irlanda. O chefe do governo da Irlanda, Micheál Martin, disse que “a missão do governo nos próximos meses e anos é levar as pessoas de volta ao trabalho e reconstruir nossa economia, ao mesmo tempo que garante que a Irlanda continue bem posicionada para prosperar na nova economia verde e digital do futuro, com alta qualidade, empregos sustentáveis​​”.

Sendo assim, para Micheál Martin, “o anúncio de hoje é muito bem-vindo por esse motivo”. Já o ex-chefe de governo da Irlanda, Leo Varadkar, o anúncio representa “outro grande voto de confiança no futuro da Irlanda” da Intel, que tem investido na Irlanda desde 1989.

A empresa demonstrou não apenas longevidade e resiliência em seus 32 anos na Irlanda, mas também uma ambição de inovar e desenvolver continuamente. Esse crescimento foi de enorme benefício para todo o país.

Leo Varadkar

Leia mais: multinacional Stripe vai criar 1.000 empregos na Irlanda.

Irlanda despontando como grande hub de tecnologia na Europa

O CEO da IDA Ireland, Martin Shanahan, disse que o investimento garantirá que a Irlanda tenha um papel importante nas operações futuras da Intel na Europa. “O trabalho realizado no campus Leixlip é altamente complexo e este investimento trará a última geração da tecnologia de processo de 7 nm da Intel para a Irlanda e a Europa, disse Shanahan.

Ainda para Martin Shanahan, “embora este investimento seja muito importante para a Irlanda, também é muito importante no contexto europeu e ajudará a concretizar a visão da União Europeia para a transformação digital até 2030”.

50 vagas na Web Summit: empresa planeja um maior crescimento e está contratando.

União Europeia quer reduzir a dependência de outros países

A União Europeia anunciou recentemente uma estratégia de 10 anos que visa reduzir a dependência da região dos Estados Unidos e da Ásia para chips de computador. A ambição é que a Europa fabrique um quinto dos semicondutores do mundo até 2030 e construa seu primeiro computador quântico.

Os Estados Unidos também buscam expandir seu poder de fabricação em meio a uma escassez global de chips. Durante o evento da Intel, o CEO Gelsinger também anunciou um investimento de US$ 20 bilhões em duas novas instalações de fabricação, ou fábricas, no Arizona, no campus Ocotillo da empresa. Este investimento dos EUA criará mais de 3 mil empregos permanentes.

Vagas na Johnson & Johnson: multinacional está com 2.363 oportunidades.

Vagas de emprego na Irlanda e o olhar para o futuro da Intel

Com o anúncio do IDM 2.0, Gelsinger reafirmou os planos da Intel de continuar fabricando a maioria de seus produtos internamente. A empresa também desenvolverá relacionamentos existentes com fundições terceirizadas e estabelecerá uma nova unidade de negócios autônoma, Intel Foundry Services, com o objetivo de se tornar um grande fornecedor de capacidade de fundição nos Estados Unidos e na Europa.

“Estamos definindo o caminho para uma nova era de inovação e liderança de produto na Intel”, disse Gelsinger. “A Intel é a única empresa com a profundidade e amplitude de software, silício e plataformas, embalagem e processo com manufatura em escala em que os clientes podem contar para suas inovações de próxima geração. IDM 2.0 é uma estratégia elegante que somente a Intel pode oferecer – e é uma fórmula vencedora”.

A agência internacional de notícias Reuters relata que as ações da Taiwan Semiconductor Manufacturing Company, um dos principais concorrentes da Intel na fabricação de chips de computador avançados, caíram quase 4% após os anúncios do CEO Gelsinger. Acesse o site de carreiras da Intel e confira as oportunidades de emprego na companhia.

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação e Doutor em Estudos de Comunicação, é apaixonado por rock and roll e conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *