Testes rápidos e mais baratos de COVID-19 podem reabrir viagens internacionais com segurança

viagens internacionais com segurança
Foto: Ixigo.

As viagens internacionais com segurança poderão ser retomadas com testes rápidos de antígenos. Saiba mais!

Um estudo encomendado pela International Air Transport Association (IATA) revelou que os testes rápidos de antígenos podem garantir viagens internacionais com segurança. O órgão internacional conta com 290 companhias aéreas associadas de 120 países e está procurando maneiras de restabelecer as viagens internacionais o mais brevemente possível.


Pandemia complicou as viagens internacionais com segurança

No site da IATA é possível encontrar a informação de que as perdas com a proibição e as restrições de viagens internacionais durante a pandemia já superaram os US$ 118 bilhões de dólares. Desse modo, a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) pediu aos governos que aceitem os melhores testes rápidos de antígeno em cumprimento aos requisitos de teste COVID-19 após a publicação de uma nova pesquisa pela Oxera e Edge Health.

O relatório da Oxera-Edge Health concluiu que os testes rápidos de antígeno de alto desempenho são tão eficazes quanto os testes de PCR na identificação da COVID-19. Um novo modelo mostra que em uma amostra de 1.000 passageiros aéreos com uma taxa de prevalência de infecção de 1%, o teste de antígeno de melhor desempenho detectaria todos, exceto um caso positivo de infecção.

Veja mais: Accor abrirá primeiro hotel digital na Europa.

IATA apela para a reabertura das fronteiras e das viagens internacionais

A importância do estudo é apoiar o uso de testes de antígenos como alternativa aos testes de PCR para viagens internacionais. Os testes de antígeno têm a vantagem de ser em média 60% mais baratos do que os testes de PCR e podem fornecer resultados rapidamente (muitos em 20 minutos). Eles também são fáceis de administrar, pois não requerem equipamento especializado ou um laboratório para processar os resultados.

Em comparação, o teste de PCR requer um tempo médio de 28 horas para receber os resultados de acordo com o estudo. Além disso, o relatório destaca a questão da escassez de testes de PCR, com a atual capacidade sobressalente de testes de PCR no Reino Unido, capaz de cobrir apenas 25% dos níveis de passageiros de 2019.

Leia também: TAP Portugal começa a voar para Cancun.

O que o teste de antígeno?

O teste de antígeno para COVID-19 é utilizado para identificar a infecção atual de coronavírus nos indivíduos. Quando uma pessoa apresenta sinais ou sintomas de COVID-19 e também em pacientes assintomáticos que tiveram contato com pessoas com um caso positivo.

Desse modo, o teste de antígeno é rápido e indolor para os viajantes. Ele é capaz de detectar a proteína do nucleocapsídeo viral do SARS-CoV-2, que, se o resultado for positivo, significa que a pessoa está com uma infecção viral ativa.

Sobre o estudo

O estudo analisou cinco rotas (Londres-Nova Iorque, Londres-Frankfurt, Reino Unido-Singapura, Reino Unido-Paquistão e Manchester-Ilhas Canárias) e descobriu que o custo do teste de PCR reduziria a demanda em uma média de 65%. Embora a exigência de teste de antígeno ainda reduzisse a demanda, isso seria muito menor, 30%.

A IATA está pedindo aos governos que permitam testes rápidos dentro de seus requisitos para viagens internacionais, a maioria dos quais atualmente exige testes de PCR. Alexandre de Juniac, Diretor Geral e CEO da IATA, comentou sobre os resultados:

Os viajantes precisam de opções. Incluir o teste de antígeno entre os testes aceitáveis ​​certamente fortalecerá a recuperação. E a especificação da União Europeia de testes de antígenos aceitáveis ​​oferece uma boa base para uma harmonização internacional mais ampla de padrões aceitáveis. Agora precisamos ver os governos implementarem essas recomendações. O objetivo é ter um conjunto claro de opções de teste que sejam medicamente eficazes, financeiramente acessíveis. E praticamente disponíveis para todos os viajantes em potencial.

Alexandre de Juniac — Diretor Geral e CEO da IATA

Saiba mais: Portugal é o melhor destino europeu de 2021.

Testes rápidos podem ajudar na recuperação do mercado de viagens

Ainda para o Diretor Geral e CEO da IATA, Alexandre de Juniac, “já estamos vendo os testes rápidos se tornando comuns em ambientes não relacionados a viagens, como escolas e locais de trabalho. Estender seu uso para viagens é um passo lógico. A ciência confirma isso. Em condições do mundo real, o teste de antígeno é tão eficaz quanto o teste de PCR na redução do risco de transmissão internacional”.

Para Alexandre, “enquanto isso, o custo e a burocracia dos testes de PCR sobrecarregam as famílias e as empresas que desejam viajar. Estas são considerações importantes na preparação para um reinício bem-sucedido. Reiniciar a aviação internacional irá energizar a recuperação econômica pós COVID-19. Junto com as vacinas, os testes desempenharão um papel crítico em dar aos governos a confiança necessária para reabrir suas fronteiras aos viajantes“.

O Diretor Geral e CEO da IATA disse ainda que “para os governos, a principal prioridade é a precisão. Mas os viajantes também precisarão de exames para serem convenientes e acessíveis. O relatório da Oxera-Edge Health nos diz que os melhores testes de antígeno da classe podem marcar todas essas caixas. É importante que os governos considerem essas descobertas ao fazer planos para reiniciar”.

Glamping com estilo: conheça as tendas com conforto em Guimarães, Portugal.

Testes mais rápidos vão proporcionar viagens internacionais com segurança

Para a sócia da Oxera e chefe de sua prática de aviação, Michele Granatstein, “quando a viagem internacional reabrir, o teste provavelmente continuará a fazer parte da estratégia para controlar o COVID. O tipo de regime de teste escolhido fará a diferença na rapidez com que a indústria de viagens se recupera”.

Michele acrescentou ainda que “a escolha de um teste rápido seria um verdadeiro impulso para a comunidade global de viagens e negócios internacionais, e nossa pesquisa mostra que ele pode ser tão eficaz quanto outros regimes de teste e tão eficaz quanto uma quarentena de dez dias”.

O cofundador e diretor da Edge Health, George Batchelor, comentou os resultados do estudo afirmando que “nossos estudos mostram que o teste de antígeno pode ser comparável ao PCR em eficácia geral, com qualquer disparidade de sensibilidade amplamente eliminada três dias após a chegada. Ao levar em consideração a conformidade com a quarentena, os testes de antígeno administrados na partida podem ser eficazes na triagem de infecções por COVID-19”.

George Batchelor disse ainda que “os testes irão reduzir o risco de passageiros aéreos espalharem COVID-19, particularmente aqueles de países onde as taxas de prevalência são baixas. Se os governos aceitarem o teste de antígeno nos próximos meses, combinado com o lançamento de programas de vacinação, isso permitirá que a indústria aérea se recupere com segurança”.

Trem da Tequila no México: Jose Cuervo Express volta a funcionar.

Esperança para o setor de turismo e viagens

A notícia segue as recentes descobertas da Oxera e Edge Health, que revelaram que o teste de antígeno na partida é tão eficaz quanto uma quarentena de dez dias se houver conformidade com as regras. Novos dados também sugeriram que a conformidade é maior do que antes, com 71% seguindo as diretrizes de quarentena até o oitavo dia.

Agora é esperar para ver qual será a reação dos governos. E saber como as novas pesquisas poderão influenciar o setor de turismo e viagens em todo o mundo. É certo que 2020 e 2021 estão sendo anos desafiadores e complicados e que o setor amarga prejuízo bilionários e milhões de demissões.

Voos internacionais na Austrália: estado australiano retomará viagens para o exterior.

*Aproveite para acompanhar também o nosso canal do Youtube, com vídeos novos toda semana:

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação e Doutor em Estudos de Comunicação, é apaixonado por rock and roll e conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *