Países europeus que oferecem visto para freelancers na Europa

visto para freelancers na Europa
Foto: Globexs.

Um visto para freelancers na Europa e nômades digitais são excelentes para quem pretende morar em um país do continente. Veja mais!

A fim de tornar o processo de trabalho mais flexível, eficaz e benéfico, vários países europeus começaram a oferecer visto de freelancers na Europa e vistos de nômades digitais a estrangeiros. Aliás, um visto para nômade digital permite que cidadãos de países que não pertencem à União Europeia vivam em um país europeu enquanto trabalham para empresas e clientes em outros países da Europa e até em outros lugares do mundo.


Visto para freelancers na Europa

Segundo o portal de notícias da Europa, Schengen Visa Info, atualmente os países europeus listados abaixo oferecem visto para freelancers na Europa e nômades digitais. Importante ressaltar que os requisitos para obter tais vistos e autorizações de viagem são diferentes entre cada um eles. Confira a lista:

Espanha

Os interessados ​​em trabalhar como freelancers na Espanha devem requerer o chamado “autonomo”. Para ser registrado como autônomo, a pessoa deve comprovar que é autônomo ou que dirige uma pequena empresa.

Além disso, as autoridades da Espanha anunciaram que estão planejando lançar um visto especial dedicado aos nômades digitais em um esforço para atrair talentos de todo o mundo e aumentar os investimentos. Uma vez que uma pessoa se mude para a Espanha com o objetivo de viver e também trabalhar remotamente no país, ela fica habilitada a preencher um pedido de autorização de residência no país.

Leia mais: conheça o incrível motorhome para nômades digitais.

Visto para freelancers na Europa — França

Outro país europeu que oferece grandes oportunidades para freelancers interessados ​​em trabalhar remotamente é a França. Através do visto de profissão liberal, um freelancer poderá trabalhar na França sem ser obrigado a encontrar um empregador para patrocinar o visto de trabalho autônomo. Os estrangeiros que planejam abrir um novo negócio na França enquadram-se em uma das categorias profissionais liberais de negócios.

Será emitido um visto de longa duração, que equivale a uma autorização de residência, com a indicação “empresário / profissão liberal”. A validade do visto é de um ano, desde que o titular solicite a validação do visto no décimo quinto dia da chegada. Para ter esse visto, a pessoa deve comprovar que pode ganhar pelo menos € 1.540 por mês. Além disso, a pessoa é obrigada a cumprir todas as formalidades exigidas para poder exercer a sua atividade profissional na França.

Você sabia? Trabalhadores estrangeiros podem se inscrever online para obter autorização de trabalho na França.

Portugal

Portugal também é um país muito popular pelo seu visto de trabalho autônomo e freelancer para todas as pessoas interessadas em um visto que permite residência de longa duração e permissão para trabalhar como freelancer na Europa. Os candidatos interessados ​​em tal visto têm duas possibilidades:

  • Visto de residência para pessoas interessadas em trabalhar por conta própria (trabalhar localmente para clientes portugueses como trabalhador contratado);
  • Visto de residência para trabalho empreendedor (visto de nômade digital que reúne clientes de outros países do mundo).

De acordo com os dados de 2019 disponibilizados pelo Banco Mundial, 16,9% da população portuguesa é autônomo e o dado mostra que tais valores são superiores à média da União Europeia que é de 15,2%.

Veja também: como trabalhar em Portugal.

Visto para freelancers na Europa — Alemanha

O visto de trabalho autônomo da Alemanha, conhecido como “Freiberufler”, permite que seu titular trabalhe remotamente na Alemanha, desde que cumpra os requisitos específicos para ter o visto de trabalho autônomo. Além disso, as pessoas devem provar que têm renda suficiente, o que significa que devem ter pelo menos € 5.000 em uma conta bancária alemã. A autorização de residência para pessoas interessadas em trabalhar como autônomos pode ser prorrogada por mais três anos.

Para receber tal extensão, as pessoas devem provar que já tiveram sucesso em seus negócios autônomos. Além disso, a pessoa também deve provar que está gerando lucros suficientes para cobrir o custo de vida. Depois de trabalhar por três dias com uma autorização de residência para freelancer, uma pessoa pode obter uma autorização de residência.

Leia também: Suíça quer facilitar trabalho de estrangeiros com diploma suíço.

Croácia

As autoridades da Croácia também desenvolveram seus planos de lançar o Visto Digital Nomad para todas as pessoas interessadas em trabalhar remotamente, independentemente da localização e do horário no país dos Balcãs. Tal anúncio foi confirmado pelo primeiro-ministro do país por meio de um post no Twitter, no qual ele enfatizou que a Croácia ajustaria a Lei dos Estrangeiros para tornar legal a permanência dos nômades digitais.

“A estada temporária é concedida por até um ano, e não pode ser prorrogada”, diz o comunicado publicado pelo Ministério do Interior croata. A mesma fonte revela que o novo pedido de regulamentação da permanência dos nômades digitais pode ser apresentado seis meses após o termo do anterior documento com o mesmo fim.

Entre outros requisitos, os nacionais de países terceiros que regulamentam a sua estadia como nômades digitais devem ter pelo menos 2,5 salários líquidos médios mensais pagos no ano anterior, de acordo com os dados do Bureau de Estatística do país. Atualmente, o valor mensal exigido é de pelo menos HRK 16.907,50 (€ 2,2 mil euros), o que significa que se as pessoas planejam permanecer na Croácia por 12 meses, elas devem provar que têm pelo menos HRK 202.890,00 disponíveis (pouco mais de € 27 mil euros).

Veja mais: tipos de visto para morar na Itália.

Visto para freelancers na Europa — Malta

Malta também lançou seu Nomad Residence Permits em junho de 2021, que permite que os viajantes trabalhem enquanto vivem no país. Todas as pessoas interessadas em viver em Malta enquanto trabalham remotamente devem provar que ganham pelo menos € 2.700 por mês. As permissões de residência nômade de Malta permitem que pessoas de países terceiros exijam um visto para viajar para Malta.

Essa licença será lançada por um ano e pode ser renovada mediante solicitação, a critério da Residency Malta. No entanto, os candidatos devem atender a requisitos específicos. Todas as pessoas interessadas em permanecer em Malta por menos de um ano receberão um visto nacional durante a sua estadia.

Passaportes da União Europeia: conheça os mais poderosos do mundo.

Estônia

As autoridades da Estônia aprovaram as emendas à Lei de Estrangeiros para permitir o lançamento de um visto para nômade digital, tornando o país báltico um dos primeiros territórios do mundo a criar tais autorizações de viagem. O Digital Nomad Visa da Estônia permite que pessoas interessadas em trabalhar independentemente do local e dos empresários residam neste país por mais de 365 dias por ano, enquanto trabalham para empregadores ou clientes fora do país.

O Ministério do Interior enfatizou anteriormente que tal visto poderia ser concedido para intenções de estadas de curto e longo prazo. No entanto, as pessoas devem atender aos seguintes requisitos ao planejar a aplicação para tal autorização de viagem:

  • Provar que pode trabalhar independentemente do local e desempenhar suas funções remotamente usando a tecnologia de telecomunicações;
  • Apresentar provas de possuir um contrato de trabalho ativo com uma empresa registrada fora da Estônia;
  • Provar que a renda atingiu o limite mínimo nos seis meses anteriores à inscrição. Atualmente, o rendimento mensal é de € 3.504.

Você sabia? Quase 25% dos funcionários de TI na Estônia são estrangeiros.

Visto para freelancers na Europa — Romênia

A Romênia também anunciou que vai lançar o esquema Digital Nomad Visa para todos os estrangeiros interessados ​​em trabalhar remotamente no país. Sobre o assunto, no final de setembro, o Senado da Romênia aprovou o projeto de lei que ajudaria a implementar esse esquema neste país. Em seguida, o projeto de lei foi encaminhado à Câmara dos Deputados para debates.

De acordo com o cofundador e o cofundador e gerente de desenvolvimento de negócios do Impact Hub Bucharest, Vlad Craiovean, a decisão da Romênia de introduzir o esquema de Visto Digital Nomad traria mais benefícios para os titulares de tais autorizações de viagem em comparação com outros países europeus ou mesmo o dos Estados Unidos, onde o custo de vida é quase 50% mais alto. Além disso, na Romênia, para uma pessoa, as despesas são em média inferiores a 500 € por mês, apontou Craioveaun.

Visto de trabalho para a Itália: veja como solicitar o documento.

Grécia

A fim de trazer mais estrangeiros para seu país, as autoridades na Grécia aprovaram uma nova lei que permite que os titulares de vistos de nômades digitais paguem metade do imposto de renda. Além disso, desde o início deste ano, os trabalhadores independentes foram autorizados a entrar no país como residentes temporários.

Os titulares de documentos de viagem fora da União Europeia, incluindo freelancers, devem preencher um pedido de visto de longa duração por um período superior a 12 meses. Os requerentes são obrigados a fornecer provas de que têm um rendimento estável enquanto permanecem na Grécia, não inferior a € 3.500 euros mensais.

Veja mais: Cartão Europeu de Seguro Doença, saiba como funciona e quem pode utilizar.

Visto para freelancers na Europa — República Tcheca

O baixo custo do aluguel de um home office na República Tcheca, bem como a disponibilidade de acomodação, fazem deste país um dos melhores lugares para todas as pessoas interessadas em trabalho remoto. Os autônomos podem se beneficiar da autorização de trabalho da República Tcheca solicitando um visto de longo prazo conhecido como “visto Zinvo”, levando em consideração a licença comercial.

Para se qualificar para esse visto, os requerentes devem fornecer uma cópia da licença comercial ou documentação que comprove que o requerente trabalhará no território da República Tcheca.

*Veja mais países que querem atrair nômades digitais pelo mundo e aproveite para se inscrever no canal:

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação e Doutor em Estudos de Comunicação, é apaixonado por rock and roll e conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

blank

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *