15 atitudes que você deve evitar para não prejudicar sua carreira

prejudicar sua carreira
Foto: Artem Podrez – Pexels.

Para não prejudicar sua carreira, veja atitudes que você pode, deve e precisa evitar. Saiba mais!

Com a pandemia e as mudanças rápidas no mundo corporativo, é necessário ter atenção redobrada em hábitos e atitudes que podem colocar tudo a perder. Aliás, muitas crenças e certezas do que poderia ser considerado sucesso no trabalho estão em decadência e um mundo globalizado e urgente exigem mudanças constantes. Por isso conheça 15 atitudes que você deve evitar para não prejudicar sua carreira.


Atitudes que podem prejudicar sua carreira

É importante ter atenção e a preocupação de buscar sempre uma atualização em torno do mercado de trabalho. Entretanto, existem algumas atitudes que só dependem de você e mudá-las pode ajudar a não prejudicar sua carreira. Confira abaixo 15 atitudes que você deve evitar:

1) Você se concentra nos problemas ou na solução?

Concentrar-se somente nos problemas de trabalho restringe sua visão, aprisiona a capacidade de ver possibilidades e impede que você acredite em si. Estudos mostram que os pessimistas têm menos probabilidade do que os otimistas de escalar a carreira. Olhando para a famigerada Lei de Murphy – se algo pode dar errado em sua vida, vai dar – faz você contornar o sucesso. A solução? Foque na positividade e concentre-se nas busca por soluções.

Leia também: faltam profissionais de TI em Portugal e os salários dispararam no país durante a pandemia.

2) Você tem medo de arriscar ou prefere correr riscos?

As estatísticas mostram que a maioria das pessoas têm energia para continuar a correr riscos de segurança após um acidente de carro do que para continuar após uma série de derrotas psicológicas. Sendo assim, é um erro ficar buscando somente a segurança nas rotinas de trabalho e evitando os riscos.

A melhor coisa a fazer é entender que o crescimento pessoal e profissional só acontece quando deixamos a nossa zona de conforto. Estudos mostram que você tem uma chance maior de alcançar o sucesso se preferir arriscar. Carreiras de sucesso são construídas por pessoas que correm riscos e que os contornam de maneira criativa. Além disso, os profissionais mais bem sucedidos são os que estão dispostos a ir além dos limites habituais.

Veja mais: Canadá supera os Estados Unidos como melhor destino para trabalhar no exterior.

3) Para não prejudicar sua carreira, você busca o equilíbrio ou trabalha o tempo todo?

A ciência desmascarou a velha noção de que trabalhar mais, por mais tempo e mais rápido torna você mais produtivo. Estudos mostram que os funcionários que fazem pausas, folgas e férias são mais saudáveis ​​e produtivos. Dessa maneira, entenda que quando você trabalha menos e de maneira mais inteligente, você faz mais mais rápido com resultados de desempenho de alta qualidade e permanece mais saudável, desfruta de uma trajetória de carreira sustentável e vive mais.

4) Você tira conclusões precipitadas ou espera pelos fatos?

Devido ao desdém da mente pela incerteza, ela inventa todos os tipos de histórias não testadas centenas de vezes por dia. Um amigo não responde a uma mensagem ou um colega está carrancudo e usa um certo tom de voz, e você presume o pior. A mente fará quase qualquer coisa por uma questão de certeza – até mesmo sacrificar fatos por suposições em um esforço para criar certeza.

A melhor coisa a fazer é esperar pelos fatos e verificar o ocorrido. Sem uma verificação, a nossa mente pula para conclusões falsas e pode estar contribuindo para extrair a alegria de sua vida e o sucesso de sua carreira. Em vez de superpersonalizar as situações e tirar conclusões precipitadas, espere pelos fatos ou busque-os sem medo de encarar a verdade.

Saiba mais: estratégias usadas pelos recrutadores na entrevista de emprego remota.

5) Para não prejudicar sua carreira, você se rebaixa ou se levanta?

Muitas pessoas lidam mal quando, pensando na progressão da carreira, perdem uma promoção. As vezes optam por se rebaixar e até passam a acreditar que ridicularizar a si mesmo ajudará a alcançar o sucesso. Porém, estudos mostram que é o contrário. Ser muito duro consigo mesmo após um revés na carreira reduz as chances de uma recuperação.

Sendo assim, o melhor a fazer é, mesmo quando as decepções no trabalho o deixam desanimado, nunca atacar a si mesmo. Pare de se culpar, tente se desarmar e deixe a situação se acalmar para uma decisão. Se presenteie com um discurso estimulante, uma afirmação sobre sua carreira ou converse sobre si mesmo com autocompaixão.

Leia também: como é trabalhar com comércio exterior na China.

6) Você é um ‘lobo solitário’ que atropela colegas de trabalho ou você os apoia?

A competição de cortar a garganta saiu pela janela há muito tempo. Um sintoma de carreira moribunda é aquela em que os trabalhadores têm poucos vínculos profissionais, trabalham sozinhos e têm dificuldade em trabalhar em equipe. Por isso, tenha em mente que os estudos mostram que quem progride e tem uma carreira de sucesso são as pessoas socialmente gregários e que mantém relacionamentos afetuosos e extrovertidos com seus colegas.

De maneira geral as pessoas de sucesso são boas colaboradoras e ajudam os colegas que precisam de apoio. Os tempos mudaram e você não faz mais nada sem o apoio dos outros na corporação. Por isso, manter um bom relacionamento com seus colegas ajudará a alcançar o sucesso.

Mudança de país: como conseguir emprego no Canadá sendo um recém-chegado.

7) Você pratica autonegligência ou autocuidado para não prejudicar sua carreira?

Aprendemos que o autossacrifício é uma virtude e que colocar-nos em último lugar é força de caráter. Mas esse ditado está fora de moda. Já sabemos que sempre nos colocar no fim da linha é um grave desserviço e pode sabotar o sucesso da nossa carreira.

Desse modo, saiba que o autocuidado torna o uso do tempo mais sustentável. Uma alimentação saudável, descanso e exercícios regulares proporcionam a resistência necessária para enfrentar os desafios do trabalho. Atividades restauradoras – um hobby, ioga, massagem ou banho quente – rejuvenescem sua mente e corpo, restauram sua energia e sua criatividade.

Leia também: dicas para trabalhar em casa com motivação.

8) Você tem medo do fracasso ou disposição para cometer erros?

O medo do fracasso leva ao medo do sucesso. Os psicólogos identificaram que algumas pessoas são mais bem-sucedidas do que outras porque têm um estado de espírito vencedor. Os atletas de ponta sabem que só quem tenta é que erra, por isso passam dias, meses e anos treinando, errando e tentando até alcançar o sucesso.

Sendo assim, atue e desenvolva uma mentalidade construtiva e dê boas-vindas ao sucesso e ao fracasso igualmente. Você não pode ter um alto sem um baixo, uma parte traseira sem uma frente ou uma direita sem uma esquerda. Quando você falha ou comete um erro, torne-se um mestre da autocorreção, admita seus erros – em vez de encobri-los – e aprenda com eles.

Acesse também: veja as 8 novas habilidades para o emprego do futuro.

9) Você nutre dúvidas sobre si mesmo ou acredita em você?

Quando a dúvida lhe diz que você está derrotado antes de começar, você já está na metade do caminho e ainda nem começou a jornada. A dúvida obscurece os fatos sobre quem você é e o que pode alcançar. Por isso, cada vez que você sai da sombra da dúvida, você aprende mais auto-verdades.

Sendo assim, se você tem uma perspectiva derrotista isso pode estar bloqueando seu sucesso. A melhor coisa a fazer é mandar essa perspectiva embora (e rápido) e substituí-la por uma maneira de ver as coisas positivamente. Desse modo, tome medidas para tornar o pensamento positivo uma realidade na sua vida pessoal e profissional.

Conheça as melhores empresas para trabalhar nos Estados Unidos em 2021.

10) Você estabelece prazos impossíveis ​​ou cria espaço para respirar e atingir as metas da empresa?

Eles são chamados de prazos por um motivo. Se você é como grande parte da força de trabalho de hoje, você se mata tentando cumprir prazos irreais. E se você morrer no caminho, não poderá alcançar seus objetivos de carreira. Por isso, defina linhas de vida realistas que podem lhe dar mais tempo, diminuir sua velocidade e chegar vivo no final da sua jornada.

Coloque um intervalo de tempo entre as tarefas para que você possa respirar, fazer um lanche ou apenas olhar pela janela. Pensar na vida, respirar fundo e ter tempo para boas risadas com amigos e com sua família vão permitir que você seja mais produtivo e eficaz no trabalho.

Veja mais: a importância da flexibilidade no trabalho como estratégia de negócio.

11) Você evita uma mente ociosa ou a procura?

Se você for como muitos alpinistas corporativos, o velho mito “uma mente vazia é a oficina do Diabo” ainda permanece na sua cabeça. Porém, pesquisas mostram que momentos ociosos de atenção plena sem imperativos – nada para se apressar, consertar ou realizar – aumentam seu bem-estar mental e físico: maior produtividade, melhor memória, sistema imunológico mais forte, menos problemas de saúde, maior felicidade e vida mais longa.

Sendo assim, se organize para encontrar e tirar um tempo da rotina diária para aquietar sua mente – momentos ociosos para meditar, tirar uma soneca revigorante ou contemplar algum aspecto da natureza farão toda a diferença. Aliás, ao invés de reificar o primeiro ditado da mente vazia ser oficina do Diabo, prefira o que diz que “a preguiça é a mãe do progresso”. Já parou para pensar que se não fôssemos preguiçosos, não teríamos quase nada do que torna a nossa vida mais fácil?

12) Você faz apenas o suficiente para sobreviver ou vai além?

Estudos mostram que uma carreira truncada é caracterizada por trabalhadores desmotivados que investem minimamente em suas carreiras. Por isso, saiba que os funcionários das estrelas do rock são intrinsecamente motivados, altamente eficientes e sintonizados com o quadro geral da empresa. Altamente investidos em suas carreiras, eles consideram o trabalho como mais do que apenas um emprego, indo além para colocar horas extras se necessário.

13) Para não prejudicar sua carreira, seja um bom ouvinte

Os profissionais impulsivos são aqueles que estão sempre certos, ignoram outras opiniões ou debandam sobre as ideias de um colega de trabalho. Eles forçam pontos de vista ao comandar, apontar o dedo ou ficar à espreita para se livrar da ideia de um colega. Eles comunicam sentimentos como fatos e fazem ouvidos moucos às opiniões de um colega de trabalho porque decidiram que estão certos.

Por isso, quando os outros expressarem pontos de vista opostos, aprenda a ser justo e paciente e se envolver totalmente no que eles estão dizendo, em vez de pensar em seus pensamentos opostos. Ninguém está sempre certo. Admita quando estiver errado, evite falar mal dos outros e seja respeitoso em suas discordâncias.

14) Você está preso ao seu ponto de vista ou tem empatia pelos colegas?

Recusar-se a considerar outros pontos de vista cria divisão e animosidade no local de trabalho. Desse modo, saiba que a empatia é cada vez mais reconhecida como uma ferramenta essencial de liderança no mercado global de hoje. Estudos mostram que a empatia é uma das principais qualidades que os funcionários valorizam em seus empregadores.

Colocar-se no lugar de um colega de trabalho suspende temporariamente seu ponto de vista e aprimora suas habilidades de escuta profunda. Dá a você uma compreensão mais clara da perspectiva de um colega sem a necessidade de concordar.

15) Você tem preconceitos implícitos ou explícitos contra colegas que são diferentes ou está aberto à diversidade?

O local de trabalho de hoje é uma mistura diversificada de diferentes raças, culturas, gêneros, orientações sexuais e pessoas com deficiência. É fundamental evitar julgamentos precipitados, estereótipos ou comportamentos discriminatórios. Sendo assim, é preciso entender que as diferenças de opinião e diversidade são componentes essenciais de uma força de trabalho ideal que agrega valor aos acionistas e também aos funcionários.

E muitos pontos de vista dão às organizações uma vantagem competitiva. Cultivar essa compreensão e compaixão aprofunda sua capacidade de se conectar com alguém de outra cultura, gênero, raça ou nível socioeconômico e traz harmonia e colaboração necessárias para a formação de equipes no local de trabalho.

*Aproveite para adquirir o Livro “Morar Fora: sentimentos de quem decidiu partir” de Cláudio Abdo, disponível em e-book e livro físico no site da Chiado Editora.

Cláudio Abdo

Cláudio é brasileiro e mora em Portugal desde 2014. Mestre em Ciências da Comunicação e Doutor em Estudos de Comunicação, é apaixonado por rock and roll e conheceu o beatle Paul McCartney pessoalmente. Sempre com uma boa história na ponta da língua, escrever é uma de suas paixões. Cláudio é autor do livro “Morar fora: sentimentos de quem decidiu partir”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *